close

AQUICULTURA: Novas tecnologias ampliam a produção do pirarucu em Rondônia

om um sabor suave e ausência de espinhas, a espécie tem uma boa aceitação no mercado consumidor

SECOM - GOVERNO DE RONDÔNIA

1 de Novembro de 2019 às 14:42

AQUICULTURA: Novas tecnologias ampliam a produção do pirarucu em Rondônia

A propriedade possui 20 hectares FOTO: (SECOM-GOVERNO DE RONDÔNIA)

O pirarucu é conhecido na região Norte como o bacalhau da Amazônia, podendo alcançar até 300 quilos, é uma das espécies nativas de grande potencial para a aquicultura. Com um sabor suave e ausência de espinhas, a espécie tem uma boa aceitação no mercado consumidor e os produtores têm investido em novas tecnologias para ampliar o cultivo.

 

Na quarta-feira (31), o vice-governador de Rondônia, José Jodan, conheceu a produção em cativeiro da Fazenda Bem-te-vi, em Porto Velho. A propriedade possui 20 hectares e está sobre os cuidados do médico veterinário, Carlindo Filho (Maranhão) e do ex-servidor da Emater-RO, Marcos Carvalho, que investem em tecnologias no melhoramento da produção de pirarucu.

 

A Neovia desenvolveu uma nova ração com 15 de ômega 3 para os pirarucus e testa na produção da fazenda Bem-te-vi. Uma equipe técnica da fazenda e uma médica veterinária realizam todo o acompanhamento do processo de desenvolvimento dessa nova tecnologia que garantirá uma produção de qualidade em Rondônia.

 

O pirarucu tem uma carne nobre, com uma excelente aceitação no mercado Brasileiro e no exterior, com isso ganha a cada dia o interesse de novos produtores. Agora na fase final dos testes com essa nova tecnologia a produção será ampliada”, pontuou o vice-governador, José Jodan.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS