close
logorovivo2

É falsa a história do garoto que morreu falando com Papai Noel?

O problema: tudo indica que a história não é verdadeira. O desmentido veio do próprio Knoxville News Sentinel. Segundo o autor do artigo original, o colunista Sam Venable, o caso veio até ele por meio de uma fonte indireta. Para verificar a veracidade, el

VEJA

17 de Dezembro de 2016 às 00:38

É falsa a história do garoto que morreu falando com Papai Noel?

FOTO: (Divulgação)

A história de um menino de 5 anos que teria morrido nos braços de um “Papai Noel” viralizou nesta semana. Mídias diversas, de vários países, compartilharam o suposto caso do americano Eric Schmitt-Mazen, de 60 anos, que todo ano se fantasia do “bom velhinho” para alegrar as crianças do estado do Tennessee, nos EUA. Há alguma semanas, ele teria se dedicado a realizar o último pedido de um garotinho: conhecer o Papai Noel. A história foi relatada por Schmitt-Mazen ao jornal americano Knoxville News Sentinel. E, pelo claro apelo emocional, espalhou-se pela internet.

O problema: tudo indica que a história não é verdadeira. O desmentido veio do próprio Knoxville News Sentinel. Segundo o autor do artigo original, o colunista Sam Venable, o caso veio até ele por meio de uma fonte indireta. Para verificar a veracidade, ele entrevistou Schmitt-Mazen, que confirmou o ocorrido, mas não quis dar o nome do garoto, do hospital ou dos pais para respeitar a privacidade de todos os envolvidos.

“Desde a publicação, o News Sentinel fez investigações adicionais numa tentativa de verificar de forma independente a história de Schmitt-Matzen. Não conseguimos. Embora os fatos sobre a sua experiência terem se confirmado, a parte da criança não pode ser afirmada. O News Sentinel não pode certificar que o relato de Schmitt-Matzen é mentira, mas o mais importante é que não podemos dizer se é verdade”, publicou o jornal.

A veracidade do caso começou a ser questionada quando algumas pessoas apontaram furos no relato e outros veículos não conseguiram confirmar as informações. Um dos questionamentos nas redes foi como uma criança prestes a morrer teria condição de ter uma conversa coerente. Além disso, a agência de notícias Associated Press não conseguiu contatar Schmitt-Mazen e a emissora CNN, após buscar em todos os hospitais da região, disse que nenhum funcionário corroborou a história.

Lembre do viral

Schimitt-Mazen teria recebido a ligação de uma enfermeira pedindo que ele fosse com urgência até o hospital onde o menino estava internado. Quando chegou lá, o garoto contou que iria morrer e o questionou sobre o lugar para onde ele iria após a morte. “Quando você chegar lá, diga a eles que você é o duende número um do Papai Noel e eu sei que eles deixarão você entrar”, teria respondido o senhor fantasiado.

Antes de morrer, a criança ainda teve tempo para mais uma frase, segundo ele: “Papai Noel, você pode me ajudar?”. O garoto supostamente teria morrido bem ali, nos braços dele. “Quando senti a vida se esvair, olhei para cima, com lágrimas no rosto, e virei para a janela. Foi quando sua mãe começou a gritar”, contou o “Papai Noel”.

Parece que, nessa história, não só o Papai Noel seria uma fantasia. Tudo pode ser falso. E ainda não se sabe quais seriam as motivações de Eric Schmitt-Mazen para ter enganado o jornalista que o entrevistou. Ele queria apenas aparecer?

O #VirouViral ainda está em cima dessa história. Neste momento, espera-se por um novo posicionamento do jornal Knoxville News Sentinel acerca do caso.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS