close

ASSASSINADO: Sargento se envolve em briga e é morto com tiro na cabeça

De acordo com informações da polícia militar, o sargento estava de férias e se encontrava numa bebedeira em um bar, quando entrou em discussão com Lucimar

AC24HORAS

3 de Setembro de 2019 às 14:54

ASSASSINADO: Sargento se envolve em briga e é morto com tiro na cabeça

Sargento da Polícia Militar Revelino Pereira da Silva, de 49 anos, morto após briga em bar de Plácido de Castro FOTO: (Reprodução)

Uma bebedeira terminou com dois homens mortos na noite desta segunda-feira (2) no interior do Acre. O sargento da Polícia Militar Revelino Pereira da Silva, de 49 anos e o operador de máquinas Lucimar Arruda da Silva, de 41 anos. O fato aconteceu na Avenida Diamantina Augusto de Macedo, no município de Plácido de Castro, distante 95 km de Rio Branco.

 

De acordo com informações da polícia militar, o sargento estava de férias e se encontrava numa bebedeira em um bar, quando entrou em discussão com Lucimar, na hora houve ameaças de morte, e irritado Arruda saiu do bar foi até a sua casa e pegou um facão, retornou. O Militar ao perceber que o desafeto havia chegado, foi até o seu carro, pegou sua pistola e retornou ao bar. O operador de máquinas partiu para cima do sargento na tentativa de feri-lo que reagiu com dois disparos que atingiram o agressor no peito e abdômen. Mesmo ferido, Lucimar agarrou o sargento, entrou em luta corporal e tomou sua arma e efetuou 3 tiros, um deles atingiu Revelino na cabeça.

 

A ambulância do Samu do município foi acionada, mas ao chegar no local nada pode fazer pelo Militar que já se encontrava morto. Lucimar recebeu os primeiros atendimentos e foi conduzido com urgência ao hospital, em seguida, foi transferido ao Pronto-Socorro de Rio Branco em estado de saúde gravíssimo. Pela madrugada desta terça-feira (3), Arruda não resistiu aos ferimentos e morreu.

 

A Polícia Militar esteve no local e isolaram a área para os trabalhos dos peritos em criminalística.

 

O corpo do sargento foi recolhido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

 

O caso segue sob investigação da Polícia Civil.

 

Segundo informações do Comandante da Polícia Militar de Plácido de Castro, Revelino estava de férias, sofria com diabete e estava muito debilitado, mesmo assim não conseguia largar a bebida. O Comandante acredita que por está debilitado e por ter uma massa corporal bem menor que a do agressor, facilitou Lucimar tomar a pistola do Militar.

 

ASSASSINADO: Sargento se envolve em briga e é morto com tiro na cabeça

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS