close
logorovivo2

AGENTE PENITENCIÁRIO – Candidatos registram ocorrência policial e representação no MPF contra irregularidades na aplicação do concurso na capital

AGENTE PENITENCIÁRIO – Candidatos registram ocorrência policial e representação no MPF contra irregularidades na aplicação do concurso na capital

DA REDAÇÃO

16 de Fevereiro de 2009 às 12:46

AGENTE PENITENCIÁRIO – Candidatos registram ocorrência policial e representação no MPF contra irregularidades na aplicação do concurso na capital

FOTO: (Divulgação)

Em Porto Velho alguns candidatos do estado de Rondônia estiveram no Ministério Público Federal na manhã dessa terça-feira (16) para registrar uma representação contra os organizadores do concurso público federal de Agente Penitenciário Federal, no caso a Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência – FUNRIO, pois segundo reclamações dos que se inscreveram no certame, houve uma série de irregularidades consideradas absurdas para o tipo de concurso - que pretende preencher quadro deficitário do Ministério da Justiça -, entre eles, atraso na execução da prova e falta de fiscais.
 
De acordo com um dos candidatos, Marcelo Cardoso, mais de 60 candidatos de diversas partes do Estado, como: Vilhena, Guajará-Mirim e Ji-Paraná, foram prejudicados, pois, o desgaste físico e emocional abalou o estado psíquico dos mesmos.
 
“Teve muita gente que chegou cedo para fazer a prova e momentos antes da aplicação não tínhamos sala, nem mesmo a lista com os nomes dos candidatos referente ao local onde faria a prova. Uma desorganização total”, apontou Marcelo, revoltado.
 
FILMAGEM
 
Durante o atraso, vários candidatos se sentido lesados perante a má organização na aplicação das provas passaram a registrar com câmeras de celulares diversas situações constrangedoras. Em uma das filmagens se registra um único fiscal que compareceu em uma das três instituições de nível superior da capital que estavam designadas a executar as prova, onde este mesmo fiscal estava distribuindo provas para os candidatos que estavam nos corredores da faculdade, na ocasião o fiscal ao ver que estava sendo filmado bateu boca com um dos candidatos, perguntando se ele era da “polícia”. Segundo Marcelo, houve empurra-empurra entre ambas as partes e o clima ficou bastante tenso.
 
Marcelo ainda disse a reportagem do Rondoniaovivo.com que um representante da instituição organizadora da prova, a FUNRIO, informou para os candidatos que o erro ocorrido já viera proveniente desde Brasília. Diante de toda confusão os candidatos que se sentiram prejudicados pela organização se retiraram sem fazer a prova do concurso e registraram uma ocorrência no 8ºDP.
 

Nessa manhã um grupo de candidatos foi até o Ministério Público Federal, onde registrou uma representação contra a FUNRIO pelo ocorrido, exigindo que a Justiça tome as providências cabíveis.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS