close
logorovivo2

Entrevista histórica - Por Selmo Vasconcellos

POR SELMO VASCONCELLOS

27 de Julho de 2018 às 09:36

Entrevista histórica - Por Selmo Vasconcellos

FOTO: (DIVULGACÃO)

 

 

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS – São Paulo, SP.

 

19 de FEVEREIRO de 2009.


Advogado ( Bacharel, pela USP em 1958 ), doutor em Direito, professor, conferencista e escritor. Vários livros publicados e muitos outros em conjunto com renomados escritores e juristas, milhares de trabalhos veiculados sobre direito, economia, filosofia, política, história, literatura, sociologia e música em jornais e revistas nacionais e internacionais, com publicações em todo território brasileiro e nos países da Alemanha, Angola, Argentina, Bulgária, Canadá, Cabo Verde, Espanha, EUA, França, Holanda, Inglaterra, Japão, Portugal, Romênia, Rússia e Taiwan .Centenas de prêmios e diplomas recebidos. Participou e coordenou mais de 500 Congressos e Simpósios, dentro e fora do País sobre direito, economia e política. Presidente e membro de inúmeras entidades jurídicas e literárias. Membro da Galeria dos Grandes Amigos do Lítero Cultural / jornal Alto Madeira de Porto Velho, Rondônia.
Prêmio ESSO do IV Centenário de São Paulo, monografia "A História de São Paulo até 1930" (1954).
Doutor em Direito pela Universidade Mackenzie (1982) com a Tese: "Teoria da Imposição Tributária".
*Professor Honorário da Universidade Austral – Buenos Aires – Argentina (2005).
*“Doctor Honoris Causa” da Universidade de Craiova – Romênia.
*Professor Excelência da Universidade “Vest Vasile Goldis”, Arad/Romênia.
*Professor Honorário da Universidade San Martin de Porres – Lima – Peru (2003).
*Membro da OAP/Portugal, Lisboa (1989/2005).
*Membro Honorário da União dos Juristas Romenos (Bucarest) e do Instituto Romeno-Latino Americano de Estudos Sociais (Craiova);
Presidente do Clube de Poesia (1994/95).
Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Membro-correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal e do Rio Grande do Norte.
Membro do PEN Clube do Brasil.Membro Honorário da Academia Santista de Letras,2006.Membro da Ordem Nacional dos Escritores, da União Brasileira de Escritores, da Assoc. Nacional dos Escritores.
Acadêmico das: 1- Academia Paulista de Letras (Presidente 2004/2006); 2- Academia Paulista de Letras Jurídicas; 3- Academia Paulista de Direito; 4- Academia Paulista de Educação; 5- Academia Brasileira de Letras Jurídicas; 6- Academia Brasileira de Direito Tributário; 7- Academia Lusíada Ciências, Letras e Artes (Pres.1982/83); 8- Academia Internacional de Direito e Economia (Pres. 1986/88 - 1997/99; Presidente de Honra 2003); 9- Academia Internacional de Cultura Portuguesa (Lisboa) (Correspondente); 10- Academia Mato-grossense de Letras (Correspondente); 11- Academia de Letras da Faculdade de Direito da USP (Honorário); 12- Academia Brasileira de Ciências Políticas e Sociais; 13- Academia Luso-Hispano-Brasileira de Direito; 14- Academia Cristã de Letras (vice-Presidente); 15- Academia Jundiaiense de Letras (patrono); 16- New York Academy of Sciences; 17- Academia de Letras e Artes Mater Salvatoris (Correspondente); 18- Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas; 19- Academia Brasileira de Direito Constitucional; 20- Academia Paulista de História; 21- Pen Clube; 22- Academia Santista de Letras (membro honor. 2006); 23- Academia Riograndense do Norte de Letras (sócio de honra); 24- Academia Sergipana de Letras (Sócio Correspondente); 25) Academia Brasileira de Filosofia (abril/2008); 26) Academia Brasileira de Direito (Presidência do Conselho Científico).
Tributarista de 1977, Homem de Visão 1987, Prêmio Melhor Conferencista ADESG-SP 1987/88/89.
Títulos de Cidadão Araraquarense, São Manuelense, Pratiano, Rio Grandense do Norte, Natalense/2004, Itapetiningano (2006).
Coordenador do Programa “Caminhos do Direito e da Economia” da Rede Vida de Televisão e da Academia Internacional de Direito e Economia desde 1997.
Produtor e Conferencista do Programa “Conheça a Constituição” da Rede Vida de Televisão e do Centro de Extensão Universitária, desde 2004.
Conselheiro da UNA-BRASIL, delegação da ONU , maio/2006;

SELMO - Quais as suas outras atividades, além de escrever ?


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS - De rigor, sou advogado. Meu decálogo do advogado que anexo mostra o quanto me sinto vocacionado para a advocacia, apesar das minhas limitações. Sou também professor de direito e integro diversas academias (27) no Brasil e no exterior, não só de literatura, mas de Direito, Filosofia, História, Cultura, Economia etc. Apesar dos meus 74 anos, atuo nestas áreas, além da advocacia.


SELMO - Como surgiu seu interesse literário ?


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS - Meu primeiro interesse foi literário. Meu primeiro soneto eu o compus aos 13 anos em homenagem a Camões de quem li "Os lusíadas" com aquela idade. Segue cópia do meu soneto com as imperfeições próprias de quem não dominava o gênero. E de lá para cá sempre tenho estado às voltas com a literatura.


CAMÕES


Camões, foste da terra portuguesa,
O gênio mais fecundo, na verdade,
Quando pagaste o culto à liberdade
Pela paixão, que mantiveste acesa.

A tua vida, cheia de aspereza,
Consagraste-a, repleto de ansiedade,
Ao serviço da pátria, que a saudade
A fronte recobriu-te de tristeza.

E foste imenso, nos bravios mares,
Já naufrago, salvando dos pesares
Da tempestade, o eterno canto teu,

Em que cantaste, com fervor sagrado,
As glórias do país, que tão amado,
Somente ingratidão te ofereceu.

SELMO - Quantos e quais os seus livros publicados dentro e fora do País ?


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS - Entre livros pessoais e em conjunto, já editei no país mais de 300 livros e no exterior mais de uma vintena, em 19 países. Livros pessoais escrevi 79, isto é livros que escrevi sozinho. Estará saindo no mês de Março de 2009 pela MP Editora, um romance que escrevi nos começos da década de 60 intitulado "Um advogado em Brasília". É o primeiro e único.

SELMO - Qual a atmosfera propicia aos seus impactos literários ?


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS - Escrevo não profissionalmente, nos fins de semana, quando leio e ouço música também. O maior impacto literário é minha mulher, com quem namoro há 55 anos e estou casado há 50 anos. Escrevi-lhe um livro de poemas (600 páginas) intitulado "O livro de Ruth", que é citado na Enciclopédia da Literatura Brasileira escrita por Afrânio Coutinho e editada pela Academia Brasileira de Letras.


SELMO - Quais os escritores que você admira ?


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS - Inúmeros. Na poesia, gosto dos parnasianos (Olavo Bilac, Martins Fontes, Vicente de Carvalho e outros), entre os românticos os três gênios (Álvares de Azevedo, Fagundes Varela e Castro Alves), gosto dos poetas da geração de 45 (Geraldo Vidigal, Ciro Pimentel, Domingos Carvalho da Silva), gosto dos poetas paulistas de projeção nacional (Guilherme de Almeida, Paulo Bonfim e Mario Chamie). Paulo e Guilherme sucederam Olavo Bilac como príncipes dos poetas brasileiros. Entre os portugueses admiro Antero de Quental, Fernando Pessoa, Camões e Bocage. No romance, considero Machado insuperável, embora goste de Alencar. Entre os romancistas vivos, Lygia Fagundes Telles é a maior expressão. Apesar de Prêmio Nobel não gosto de Saramago, em quem reconheço, todavia, especial talento. Garcia Lorca, como poeta, e Camus impressionaram-me na juventude, mas é Victor Hugo aquele que mais admiro na literatura francesa. Gosto dos autores russos (Tolstoi, Dostoievsky, Pasternak, Soljenitsin), apesar de seu estilo pesado e histórias recheadas de personagens. Enfim, seria difícil enumerar as minhas preferências, que são muitas.

SELMO - Qual mensagem de incentivo você daria para os novos poetas ?


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS - Que escrevam sempre. Não para impressionar aos outros, mas como necessidade.
Passo-lhe um poema recente que sintetiza um pouco porque escrevo ("Versos de precisão" abaixo).

SONETO PARA SELMO VASCONCELLOS.

Nos longínquos limites do Brasil,
Surge figura em que o talento é manto,
Que no seu gesto impávido e viril,
A beleza difunde a todo o canto.

Nas colunas impressas do jornal,
Traz valores e gentes dos distantes
Rincões deste país continental,
Como jamais houvera em tempos dantes.

Sua pena ultrapassa cordilheiras
E penetra no seio da floresta,
Descortinando sonhos sem fronteiras
E tornando o saber etérea festa.


Ele tem na cultura eternos elos
Sendo seu nome Selmo Vasconcellos.
 

MAIS COLUNAS

Selmo Vasconcellos

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS