close
logorovivo2

MOMENTO LÍTERO CULTURAL

POR SELMO VASCONCELLOS

28 de Agosto de 2018 às 09:01

MOMENTO LÍTERO CULTURAL

FOTO: (DIVULGACÃO)

01-DAMARIS  TAMEIRÃO – INDAIATUBA, SP.

(Membro da Galeria dos Amigos do Momento Lítero Cultural)

 

02-CECÍLIA FIDELLI – ITANHAÉM, SP - EM MEMÓRIA

 

Entre beleza e espinhos,
as rosas do amor desabrocham
a cada dia.
mas, as vermelhas, escravas
dos namorados, vivem sempre
muito atarefadas em produzir
lágrimas de emoções e carinhos.

 

03-ARACELI  OTAMENDI – BUENOS AIRES - ARGENTINA

 

Uno no es lo que es por lo que ha escrito, sino por lo que ha leído.
Que otros se jacten de las páginas que han escrito; a mí me enorgullecen las que he leído. “JORGE LUIS BORGES”

 

04-ASTRID CABRAL – RIO DE JANEIRO, RJ

RITUAL

 

Todas as tardes

rego as plantas da casa.

Peço perdão às arvores

pelo papel em que planto

palavras de pedra

regadas de pranto.

 

05-ABEL SIDNEY – PORTO VELHO, RO

Fios da esperança

Na descoberta do mundo
(Que se escondia sob
os coloridos novelos)
se encontravam os fios.

Com fios de ouro, teceu-se a manhã
Com fios de prata, a lua e o mar
Com o fio que leva ao pavio, a chama
Que acesa, criou-se movimento e vida.

Que dedos leves teceram tantos fios?
Fios de água, fiapos de nuvens,
Fragmentos de pó...

Muitos temem sussurrar teu nome,
Grande Tecelão, por te conceberem
À imagem e semelhança deles próprios.


Segues fiando. E confiando.
Afinal, de onde provém a fé,
Senão dos fios da esperança
Que mais facilmente tecemos,
Na condição de crianças?

 

06-TERESINKA PEREIRA – OHIO, USA.

O  QUASE ADEUS

 

Em voz débil

sem a energia necessária

para dizer nem a verdade

nem a mentira,

o “adeus” não é fácil.

 

Mesmo forçando a voz

raspando a garganta,

murmurando um “não sei”

e seguir caminho

sem olhar para atrás.

 

O “adeus” é sempre

um assalto à nossa

emoção mais íntima.

É como parar

no meio da estrada

sem saber aonde ir...

 

ALMOST GOODBYE

 

In feeble voice

without the necessary energy

to say neither true

nor a lie

but difficult “goodbye”

with stressed letters

scratching the throat,

grumbling an “I don’t know”

and leaving by the path

without looking back.

 

“Goodbye” is always

an assault to our

most intimate emotion.

It is a like stopping

in the middle of the road

not knowing where to go.

 

07-CHRIS HERRMANN – DUISBURGO, ALEMANHA.

Autorretrato das marés

 

sou mar e maremoto

um revolto de lua cheia

crescente de água salgada

a curar os bichos feridos

meio minguantes e soltos

 

nas águas doces, sou todos

remando minha arca de noé

na ressaca das tempestades

para o meu porto in_seguro

que você não sabe onde fica

que nem eu sei onde é

 

Do livro ´Gota a Gota´ - ed. Scenarium, 2016

 

08-CLAUDIA MANZOLILLO – RIO DE JANEIRO, RJ.

VAGO LUME

 

Já não me procuram mais

a vaga, o marulho das águas

o ir e vir

já não me procura mais 

o vento, sopro de Deus 

no rosto de barro.

 

Enquanto isso

acalanto

o inseto verde

que insiste

em pousar sobre meu peito.

 

09-LIA SENA – ITABUNA, BA.

SONHOS DE VÊNUS

 

Ontem pousei saudades num longo varal
e havia sol
um pardal
bicando grãos
e o cheiro evanescente dum luar distante...
Ontem varri estrelas
mas não as escondi debaixo do tapete.
Reguei orquídeas
ouvi blues
(briguei com a guitarra comovente)
indolentemente estiquei pés,
pernas e um resto de poesia que cabia em mim.
Salvei madrugadas de sóis que nascem incandescentes
e desfilei nos trilhos 
o salto 15 da minha paixão.
Vesti delírios
e assustei verdades
Beijei só aquela boca...
(a que tanto quis)
Nefasta e bela
(minha, talvez)


Lume dos Anseios (Edições Mac/2014)

 

10-VERÔNICA NOBLAT – INDAIATUBA, SP.

 

Descubro que te quero toda vez que te amo
Necessito te amar para que muito mais eu saiba
Sem que eu esqueça de lembrar e muito mais te amando,
Com tanto e tal amor que mesmo esquecendo
Te amaria como a primeira vez

 

11-ANTÓNIO TORRES  - ARACAJU, SE.

REVOLTA

 

Agônico

o povo arqueia

sob o peso

de botas de chumbo

de gigantes bem criados

e vestidos com casacas enfeitadas

e medalhas coloridas.

 

Atônitos

velhos e meninos

rasgam os gritos

mas nos seus olhos

a revolta cintila vida!

 

12-JUSSARA C. GODINHO  - CAXIAS DO SUL, RS.

O que é aprender?

Aprender é descortinar janelas,
e abrir-se aos horizontes,
vislumbrando o desconhecido.


Aprender é acender luzes
e clarear escuros,
iluminando a mente


Aprender é entregar-se ao novo
defletir velhas imagens,
recebendo sonhos


Aprender é compreender o mundo
seguir em frente,
trilhando outros caminhos

 

13-ROSANE BASTOS  – PORTO ALEGRE,  RS

ESSÊNCIA DA VIDA

 

Quero caminhar no bosque,

Pois preciso pensar

E procurar um caminho, um lugar.

Vou pisar na grama;

Respirar ar puro;

Abraçar uma árvore linda

E frondosa.

Preciso sentir os raios do sol,

Refletindo em meus olhos.

Preciso sentir a brisa suave,

Acariciando os meus cabelos.

Preciso sentir a terra

Firme em minhas mãos,

Assim como, chorar,

Sorrir, correr e amar.

No paraíso, há um lago muito azul.

A água é cristalina e pura.

Os bosques são perfumados.

As flores formam

Um jardim multicolorido

E tudo é real.

Nossos sonhos só chegarão ao fim,

Se não soubermos buscar

A verdadeira fonte de vida.

Essa fonte encontra-se

Dentro de nós,

Em um lugar muito seguro,

Que só nós podemos encontrar.

Ama a tua vida, ama a ti mesmo!

Teu sorriso e teus olhos

Mostram a tua alma.

Eu me amo. E tu?

 

14-LUCIANA ELEOTÉRIO – CACOAL, RO.

 

Jogo de amor

 

Me jogo de vez nesse jogo

de laços e braços, promessas no ar

Desperte meus instintos aos poucos

Me esquente em teu fogo até me queimar

Me perco nos sons dos gemidos

Na dança dos corpos, no entrelaçar

Aprecio seus toques macios

Sua língua atrevida a me desvendar.

 

15-SELMO VASCONCELLOS – PORTO VELHO, RO.

 

Primavera

Hibiscos vermelhos floridos

Punhados de beija-flores.

MAIS COLUNAS

Selmo Vasconcellos

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS