close
logorovivo2

Agevisa abre campanha enfatizando prevenção de doenças sexualmente transmissíveis

Agevisa abre campanha enfatizando prevenção combinada de doenças sexualmente transmissíveis

ASSESSORIA

30 de Janeiro de 2018 às 17:47

Agevisa abre campanha enfatizando prevenção de doenças sexualmente transmissíveis

Teste Rápido de Aids FOTO: (Divulgação)

O Núcleo Núcleo Estadual de IST, Aids e Hepatites Virais, da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), distribuiu aos municípios rondonienses 237,6 mil preservativos masculinos; 164 mil gel lubrificantes, 950 kits do HIV, suficientes para 23,7 mil testes; 600 kits da hepatite C (15 mil); 610 da hepatite B (15,2 mil testes); e 950 de sífilis (23,7 mil), totalizando 77,5 mil testes.

A campanha estadual de prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis no carnaval 2018 será aberta nesta quarta-feira (31), às 16h, no Mercado Cultural, na Avenida Presidente Dutra, em Porto Velho.

Logística das ações e abordagem dos foliões na capital e no interior serão definidas pelas prefeituras, informou Gilmarina Silva Araújo, chefe do núcleo. O slogan deste ano é “Neste carnaval, não deixe a festa acabar mais cedo”. A faixa etária com maior ocorrência de DST no estado é a de 20 a 49 anos. Rondônia teve 1.603 casos de Aids em quatro anos, de 2012 a 2016.

Prevenção Combinada

Até pouco tempo atrás, a única opção disponível era o preservativo. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) divulga a prevenção combinada. São novas estratégias de prevenção como ferramentas complementares no enfrentamento da epidemia de HIV.

“Nenhuma prevenção isolada é suficiente para reduzir novas infecções”, alertou Gilmarina. Segundo ela, diferentes fatores de risco de exposição, transmissão e infecção operam, de forma dinâmica, em diferentes condições sociais, econômicas, culturais e políticas.

Entre as novas estratégias para a prevenção da transmissão do HIV destacam-se o uso do Tratamento como prevenção (TASP, em inglês, ou TcP, em português), a Profilaxia Pós-exposição (PEP) e a Profilaxia Pré-exposição (PrEP).

A filosofia do programa brasileiro de Aids visa o tratamento para todas as pessoas. Benefícios: reduz complicações relacionadas às infecções pelo HIV; melhora a qualidade de vida e diminui a mortalidade; reduz a transmissão do vírus.

“O tratamento para todos também é usado com a finalidade de prevenção, isto é, com o tratamento a quantidade de vírus circulante no corpo da pessoa que vive com HIV diminui”, lembra Gilmarina.

“Geralmente, a quantidade de vírus (carga viral) nos exames de sangue é tão pequena que se considera indetectável, e pessoas que vivem com HIV com carva viral indetectável têm redução importante de transmissão do vírus para outras pessoas em relações sexuais desprotegidas”, ela detalhou.

Serão distribuídas uma centena de senhas para testes rápidos no Mercado Cultural. A enfermagem aconselhará pré e pós-testes, distribuirá material gráfico educativo e orientará a respeito da prevenção combinada.

O Departamento Estadual de Trânsito alertará em seu material informativo a respeito dos cuidados durante o período, enfatizando o perigo da combinação álcool-direção. O estande do Núcleo e da Secretaria Estadual da Assistência e do Desenvolvimento Social zelará pela população infanto-juvenil contra abuso sexual, divulgando o serviço telefônico Disk 100 e conselhos tutelares.

Sífilis e Hepatites

No mesmo período, a Agevisa notificou  733 casos de sífilis em gestantes.

Em quatro anos ocorreram 3.091 casos de hepatite B; 1.611 foi o número de casos de hepatite C em nove anos, entre 2007 e 2016.

Informe-se

No serviço de saúde mais próximo a respeito da oferta da testagem. É importante que você saiba se tem HIV, os vírus das hepatites B e/ou C, sífilis e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Os testes são rápidos, confiáveis e seguros. Há sigilo. Os resultados saem em até 30 minutos.

Durante a gestação, no parto e na amamentação pode ocorrer a transmissão vertical do HIV. Além desse vírus, a sífilis e as hepatites B e C podem ser transmitidas. É direito de todas as gestantes fazer testes durante o pré-natal. O diagnóstico e o tratamento precoce podem garantir o nascimento saudável do bebê.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS