close
logorovivo2

Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

A diretoria d Federon já foi convidada por várias vezes e não compareceu, “assim fica difícil cumprir a data, que eles programaram para começar o Flor do Maracujá”, disse Fabiano.

ZÉKATRACA

4 de Maio de 2018 às 09:29

Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

FOTO: (Divulgação)

Até a manhã de ontem (quinta feira dia 03), o assessor do superintendente da Sejucel Fabiano, estava aguardando a direção da Federação de Grupos Folclóricos de Rondônia – FEDERON para conversar sobre a estrutura do Arraial Flor do Maracujá.

********

 

A diretoria d Federon já foi convidada por várias vezes e não compareceu, “assim fica difícil cumprir a data, que eles programaram para começar o Flor do Maracujá”, disse Fabiano.

*******

 

Entramos em contato com o presidente Fernando Rocha e fomos informados, que a Federon está negociando com a prefeitura a possibilidade de terceirizar o Arraial. Segundo o presidente da Federon a prefeitura através da Funcultural está negociando com algumas empresas privadas, para que estas banquem as despesas do Flor do Maracujá.

*******

 

Essas despesas são com arquibancadas, sonorização, iluminação, camarotes e subsídios para os grupos folclóricos. “A direção de uma Rede de TV, nos procurou e também fez uma proposta parecida com a da Prefeitura, ou seja, assumir as despesas do Flor do Maracujá, estamos aguardando a decisão das duas entidades”, disse Fernando.

*******

 

Por outro lado, a Sejucel informa, que mesmo a prefeitura conseguindo patrocínio de empresas privada para a realização do maior evento folclórico da região Norte, é preciso que oficialize, pois, é preciso lembrar, que o espeço do Parque dos Tanques pertence ao governo do estado.

********

 

Em nossa opinião, caso a Federon e prefeitura de Porto Velho via Funcultural não oficializem que assumirão a produção do Arraial Flor do Maracujá pelo menos até a próxima semana, dificilmente cumprirão o que consta do calendário das festas juninas deste ano, que diz, que o Flor do Maracujá vai começar no dia 20 de junho. A burocracia é muito grande.

*******

 

De qualquer maneira, vamos ficar torcendo para que tudo dê certo e os grupos dessa vez, sejam contemplados com subsídios suficientes para realizar uma grande festa.

*******

 

Ano passado o repasse foi tão pouco, que os Bois Bumbás resolveram não participar de diputa, apenas se apresentaram. Já os grupos de quadrilha, concorreram ao prêmio de melhor do Arraial.

*******

 

Por falar em eleição: A carnavalesca Anne Mamedes diretora jurídica da Federação das Escolas de Samba e Entidades Carnavalescas de Rondônia - Fesec, ligou solicitando “Direito de Resposta”, sobre o que publicamos a respeito da eleição da Entidade, marcada para acontecer na próxima terça-feira dia 8.

********

 

Solicitou mais não enviou, pelo menos, até o fechamento desta coluna as 17h30 de ontem. Assim sendo, continuamos aguardando o que a Advogada Anne Mamedes tem para contestar, sobre o que publicamos na coluna de ontem.

********

 

Aliás, a reunião que estava marcada para acontecer na noite de ontem, com os dirigentes das escolas de samba, em virtude da presença do Cantor Ciganarey em Porto Velho desde ontem ao meio dia e como o presidente e a Assessora Jurídica da Fesec são dirigentes da Escola de Samba Acadêmicos da Zona Leste, para acompanhar o intérprete de samba enredo, resolveram marcar a dita reunião, para a tarde deste sábado dia 5, no mesmo local.

********

 

Quem ficou igual touro brabo (botando fumaça pela venta), foi o Cabeleira da Escola Acadêmicos do Armário Grande que quer, por que quer, eleger o ANTONIO CASAMENTEIRO presidente da Fesec.

*******

 

Quer dizer, casar a pretensão dos dirigentes das escolas Armário Grande, Os Diplomatas, Império do Samba, São João Batista e Unidos da Rádio Farol com o Casamenteiro do Mercado Cultural.

*******

 

Pelo andar da carruagem, essa eleição da FESEC que até então, contava apenas com a chapa, apresentada pela escola de samba Asfaltão, vai feder a chifre queimado!

 

Ciganerey canta na festa da Acadêmicos da Z. Leste

 

Interprete de samba enredo Ciganerey ex Estação Primeira de Mangueira se apresenta na noite desta sexta, na festa de 6 anos de fundação da escola de samba Acadêmicos da Zona Leste.

 

A festa de aniversário da campeão do Grupo de Acesso dos desfiles das escolas de samba de Porto Velho em 2018, vai acontecer na Associação Guadalupe a Avenmida Mamoré entre Amazonas e Raimundo Cantuária. A partir das 21 horas o Grupo de Samba Camafeu se apresenta acompanhando o campositor e cantor Ernesto Melo um dos fundadores da agremiação que vai abrir a noitada de samba.

 

Ciganerey se chama Paulo Roberto, nascido no Rio de Janeiro , passista ritmista, mestre sala, compositor, interprete conta que sua veia artística vem de sua família. “Minha mãe cantava, meu tio cantava enfim, venho de uma família de sambista. Minha vó era baiana, minha tia era passista, meu tio compositor e cantor, minha mãe era porta bandeira e também cantava, não tinha outro caminho pra eu seguir”, lembra o cantor que em 1986 começou a cantar. “Eu era mestre sala da escola Engenho da Rainha e nas horas vagas cantava. Um dia um samba que eu disputei ganhou eu fui pro estúdio pra ver como era a gravação e acabei gravando o samba resultado, estou cantando até hoje, se eu fosse mestre-sala estaria aposentado”.

 

Em 2009 Ciganerey ingressou no carro de som da Mangueira fazendo parceria com luizito e o Zé Paulo “Fiquei três anos participando do CD Oficial, quando o Luizito fez a passagem, o presidente me nomeou interprete oficial e logo no primeiro ano, consegui a proeza e a sorte de ser campeão”.

 

Show da Zona Leste

 

Ciganarey desde ontem encontra-se em Porto Velho e hoje faz o show de aniversário da Escola Verde e Rosa de Porto Velho. “Quem vai fazer o show de abertura da nossa festa de aniversário é o Ernesto Melo acompanhado pelo Grupo Camafeu”, lembra a presidente Anne Mamedes.


 

Serviço


 

Festa de aniversário da escola de samba Acadêmicos da Zona Leste

Local – Associação Guadalupe a avenida Mamoré entre a Amazonas e a Raimundo Cantuária

Hora – 21 horas

 

Convite/Mesa – R$ 40 (para quatro pessoas.

 

TURISMO

 

Oficina vai debater potencialidades turísticas do Vale do Guaporé
 

Com base nas reais necessidades dos setores que compõem o cenário turístico dos municípios de Seringueiras, Costa Marques, São Miguel e São Francisco do Guaporé, localizados no Vale do Guaporé de Rondônia, a Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog) e a Superintendência de Turismo (Setur) promovem nos próximos dias 09 e 10, em Costa Marques, oficina para debate das potencialidades turísticas locais.

 

Realizada por meio da Secretaria Executiva Regional de São Francisco do Guaporé, na Escola Estadual Angelina dos Anjos, a partir das 14 horas, o evento atende a diretriz de competitividade sustentável com foco no turismo prevista no Plano de Desenvolvimento Estadual Sustentável (PDES), documento elaborado pelo Governo de Rondônia que aponta eixos de desenvolvimento para o estado até 2030.

 

Para debater o potencial da região e os caminhos para alavancar o setor, serão convidados autoridades e representantes dos diversos segmentos turísticos da região como prefeitos, secretários e técnicos do governo e prefeituras; acadêmicos, estudantes secundaristas e comitivas. Também serão incluídos empresários como proprietários de hotéis, restaurantes, agências de viagens, embarcações, entre outros. A programação inclui ainda representantes de quilombolas e famílias do Forte Príncipe da Beira.

 

O secretário da Sepog, George Braga, explicou que por meio da oficina será possível buscar as potencialidades turísticas de cada localidade e levantar as problemáticas que impedem o real progresso do setor em uma das regiões com maiores atrativos.

 

Segundo o coordenador das Secretarias Regionais, Natan Oliveira, com este levantamento um Plano de Desenvolvimento será elaborado e ainda neste semestre deverá ser concluído para posterior transformação em uma política pública inclusiva.

 

Expectativa

 

É com esta visão de desenvolvimento econômico e sustentável, por meio do fomento aos programas e projetos que envolvam o turismo no Vale do Guaporé, que o superintendente da Setur, Ailton Andrade, explica a importância da oficina e do empenho do órgão para o sucesso do evento.           “Neste evento, será possível a integração dos diversos segmentos locais possibilitando maior organização, disseminação dos potenciais, além de incentivar a melhoria dos serviços oferecidos. A ideia é agregar valor aos serviços da comunidade”, completou o superintendente.

 

O secretário regional de São Francisco, Cleiton Xavier, disse que a expectativa é preparar a própria população para receber os turistas. “Precisamos capacitar empresários e despertar o interesse para maior desenvolvimento no artesanato, melhorar os serviços de hotelaria, restaurantes, entre outros. Dessa forma podemos desenvolver o Vale do Guaporé e fortalecer o trabalho de divulgação das potencialidades turísticas”, ressaltou.

 

Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca
Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS