close
logorovivo2

Lenha na Fogueira, por Zékatraca

Fomento à pesca esportiva meta do gestor da Setur

ZÉKATRACA

30 de Maio de 2018 às 10:54

Lenha na Fogueira, por Zékatraca

FOTO: (Divulgação)

À boca da noite da última segunda feira dia 28, aconteceu uma reunião entre o governador de Rondônia Daniel Pereira; prefeito de Porto Velho Hildon Chaves, presidente e diretores da Federon Fernando Rocha, Silvio Santos, Júnior de Castro Alves, Dra. Fátima e Silfarney Silva no gabinete do governador no Palácio Rio Madeira.

********

 

A pauta era, como contribuir financeiramente com os grupos folclóricos que irão se apresentar na XXXVII Mostra de Quadrilhas e Bois Bumbás do Arraial Flor do Maracujá este ano!

********

 

Ha alguns dias, o presidente da Federon Fernando Rocha havia conversado com o prefeito Hildon Chave a respeito do assunto, assim sendo, Fernando abriu os trabalhos explicando ao governador qual a pretensão dos folcloristas. “Não viemos aqui governador, pedir que o senhor repasse dinheiro do orçamento do estado, para os grupos se prepararem para as apresentações no Flor do Maracujá”.

*******

 

Hildon Chaves pegou carona na explanação do presidente da Federon e explicou ao governador, que o Arraial Flor do Maracujá é um evento muito importante para o município de Porto Velho. “Por isso Daniel nós, governador do estado e prefeito de Porto Velho, como pessoas físicas, precisamos nos empenhar junto à empresas privadas, para que estas, patrocinem os grupos folclóricos do Flor do Maracujá”.

********

 

É preciso que a Federon deixe de procurar os governos com “pires na mão”. É hora dos grupos folclóricos caminharem com as próprias pernas. “Vamos tentar convencer algumas empresas privadas, a investirem no evento, que é para a Federon fazer caixa. Para o ano, eles poderão andar sozinhos”, disse o prefeito.

********

 

O governador Daniel Pereira concordou com o prefeito e os dois acertaram que não medirão esforços, para tornar o Flor do Maracujá um evento totalmente de responsabilidade da Federon. Ficou acertado que caso o patrocínio de empresas privadas seja consolidado, o governo do estado não colocará a estrutura, porém, fica liberada a cobrança de ingresso. “Com o arrecado na bilheteria, vocês podem firmar parceria com empresas especializadas em montagem de estruturas, sonorização e iluminação.

**********

 

Outra solicitação das duas autoridades, foi que a Federon adiasse o início do Arraial pois, a data de 20 de junho, está muito em cima. “As empresas precisam de um prazo razoável, para planejarem suas participações na festa”.

*********

 

MUDANDO DE ASSUNTO!


 

*********

 

Com o fim do período chuvoso, a programação do projeto “Som Livre”, lançado pela pela Prefeitura de Porto Velho ano passado, será retomada a partir dia 10 de junho. O evento, que inicialmente acontecia exclusivamente no Complexo Madeira Mamoré, passa a ser itinerante.

********

 

Esta primeira edição de 2018 será realizada no Ecoparque, localizado na zona Sul. A programação começa as 17h e segue até as 20h. Estão previstas duas atrações musicais e uma exposição de artes plásticas. “Será uma tarde de domingo diferenciada para a comunidade”, destacou Ocampo Fernandes, presidente da Fundação.

********

 

Já no mês de julho o Som Livre será levado ao distrito de Nova Mutum. Para atender ao projeto a Funcultural tem selecionado artistas cadastrados pelo chamamento público realizado em abril. Fonte: Funcultural.

*******

 

Enquanto isso no Arraial Flor de Cacto! Quem se apresenta na noite de hoje 30, é a quadrilha campeã do Flor do Maracujá de 2017 “A Roça é Nossa”. Só explicando: A premiação de R$ 10 Mil será rateada entre os primeiros colocados. Por exemplo: O grupo que ficar com o 1º lugar vai levar Dois Mil e Trezentos para sua sede. Tem prêmio até o 5º colocado.

*********


O Flor de Cacto está funcionando no Campo 1º de Maio do bairro Caladinho acesso pela rua Geraldo Siqueira.

 

Fomento à pesca esportiva meta do gestor da Setur


 

À frente da Superintendência Estadual de Turismo (Setur) desde o último dia 9, Gerçon Zanato vai priorizar as atividades em andamento no setor. “Temos um tempo curto até finalizar este ciclo da gestão, então queremos concluir o que já está sendo feito e acrescentar novas demandas que sejam possíveis para este período”, declarou.

 

A preocupação do novo gestor é fazer com que o setor de turismo em Rondônia cumpra com o seu papel, que a atividade movimente a economia, gerando recurso para os municípios e para o estado. “Além disso, o turismo é uma ferramenta de inserção social. Muitas pessoas enxergam algumas cidades do interior como isoladas e sem expectativa para os moradores, mas se nós explorarmos o potencial turístico, o conhecimento e histórias das comunidades locais podemos criar um novo cenário turístico em Rondônia”, acrescentou o superintendente.

 

Zanato diz que, das atividades típicas do verão que se inicia, destaca-se a pesca esportiva, muito procurada pelos amantes da categoria. Mas o cuidado da superintendência é a fiscalização com relação à preservação ambiental. “Turista nenhum quer ir a um lugar sujo e mal cuidado. Temos equipes orientando e fazendo o trabalho de conscientização da preservação da natureza nas áreas de prática da atividade, e já estamos conversando com as secretarias competentes para que, aos poucos, quando já tivermos massificado essa questão, começarmos a fiscalizar com mais rigor em um trabalho conjunto”.

 

Novidades prometem movimentar a região de Pimenta Bueno, aproveitando a rica bacia hidrográfica local. “Temos por lá os Rios Machado, Pimenta Bueno, Melgaço, e agora o lago criado com a construção da usina Rondon II, e precisa ser fomentada a pesca ao Tucunaré que já tem sido praticada por lá. Queremos explorar a região e ainda a área da 429, onde existem belezas naturais incríveis. Fiquei sabendo de um labirinto de uma possível cidade Inca localizada na floreste, ao lado Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques. Se isso realmente for confirmado, será uma novidade mundial”, revelou Zanato.

 

O município de Guajará Miriam é um dos focos do superintendente, que reconhece potencial turístico na cidade. “Guajará está adormecida turisticamente falando, algumas pessoas viajam até a cidade e voltam frustrada à capital. Precisamos fazer um treinamento de qualificação para o setor de hospedagem, destacar a culinária local, resgatar a história de suas ruas e edificações. Em Porto Velho, queremos fazer a capital entrar no circuito da pesca internacional, já nas comunidades ribeirinhas existe projeto nesse sentido e para fazer isso acontecer vamos buscar a parceria com a prefeitura para fomentar essa atividade”, disse.

 

O superintendente finaliza explicando que, para que todas as ações sejam concretizadas, a equipe já está planejamento e buscando a ampliação do orçamento para o próximo ano. “Temos um pequeno orçamento para atender às demandas e necessidades de Rondônia, mas nós já estamos fazendo esse levantamento para justificar a disponibilidade para maiores investimentos no setor”, concluiu.

 

Fonte

Texto: Vanessa Farias

Fotos: Rosinaldo Machado

Secom - Governo de Rondônia

 

Semana Internacional de Música uma realização da Villa-Lobos


 

Repetindo a parceria de 2017, o Instituto Cultural Villa-Lobos PVh e a Lebanon Valley College (Pensilvânia/EUA) realizam em Porto Velho, este ano, a “Semana Internacional de Música”, com oficinas musicais e apresentações públicas, para comemorar o 3º ano de fundação do Instituto, responsável pela Orquestra Villa-Lobos.

 

Como em 2017, quando foi apresentado o espetáculo “Concerto nº 3 para Piano e Orquestra”, a Villa-Lobos portovelhense contará também agora com a participação da pianista e professora Dra. Shelly Moorman–Stahlmam, do Lebanon Valley College, que chega dia 29 com um grupo de alunos mestrandos do colégio norte-americana e alunos e professores da FABAT E UFRJ (Rio de Janeiro).

 

Para os eventos da Semana Internacional de Música, serão realizadas três apresentações (dias 1, 2 e 3 de junho e oficinas dias 31 de maio e 1 de junho), sendo que dia 30 haverá um “Culto Cantado Bilíngue”, na Primeira Igreja Batista (Presidente Dutra com Duque de Caxias). No mesmo local serão realizadas as Oficinas.

 

Nos dias 1 2 e 3 de junho a Orquestra Villa-Lobos e convidados farão espetáculos no Teatro Palácio das Artes, e nos três dias, como já aconteceu ano passado, com o ingresso valendo dois quilos de alimentos não perecíveis que será trocado no dia de cada Concerto das 8 às 12 Hs na Escola de Música Vilma Lobos (600 ingressos) e às 18hs (400) no Teatro Estadual Palácio das Artes. As doações serão depois entregues a instituições beneficentes de Porto Velho.

 

Para a realização da Semana Internacional de Música, o Instituto Villa-Lobos está contando com o importante apoio do Governo do Estado através da Sejucel, SICOOB, SICTV, REDETV, Golden Plaza Hotel e Escola de Música Villa-Lobos.

 

“Este apoio é fundamental para a realização de um evento desse nível, mas além deles também é importante destacar que a Villa-Lobos sempre tem recebido apoio da sociedade em geral para suas apresentações, do Governo do Estado de Rondônia e da Imprensa, parceiros que consideramos também muito importantes”, ressaltou a presidente do Instituto maestrina Marina Prestes de Carvalho.

Lenha na Fogueira, por Zékatraca

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS