close
logorovivo2

No Clube da Leitura, 'Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada'

“Esquentei o arroz e os peixes e dei para os filhos. Depois fui catar lenha. Parece que vim ao mundo predestinada a catar. Só não cato felicidade"

RONDONIAOVIVO - EDIÇÃO

13 de Agosto de 2018 às 10:29

No Clube da Leitura, 'Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada'

FOTO: (Divulgação)

O Clube da Leitura volta a se reunir no dia 8 de setembro, das 16 às 18 horas, na Livraria Exclusiva, para discutir a obra “Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada”, de Carolina Maria de Jesus.

 

A autora escreveu a obra entre os anos de 1955 e 1960. Catadora de papel e moradora da favela do Canindé no centro de São Paulo, ela descreveu a sua visão, em forma de diário, sobre o cotidiano dela e dos moradores da favela.

 

A autora mostra como é viver em meio a explosão urbana que São Paulo passava na época, com os consequentes sofrimentos, indignações, revoltas e angústias que a população marginalizada era obrigada a superar diante de sua situação de miséria e desamparo. A questão do racismo também é abordado no livro.

 

Esquentei o arroz e os peixes e dei para os filhos. Depois fui catar lenha. Parece que vim ao mundo predestinada a catar. Só não cato felicidade (p. 72)”

 

O livro veio a público quando o jornalista Audálio Dantas, visitando a Favela do Canindé, conhece Carolina por acaso e se encanta com seu diário, promovendo e auxiliando na publicação da obra. Quarto de Despejo foi um sucesso de vendas no Brasil e no exterior. A autora faleceu em 1977.

 

Fonte:Carta Capital

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS