close
logorovivo2

FESTIVAL E HISTÓRIA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

Começa nesta quinta feira 27 o XVII Festival de Praia de Costa Marques.

ZÉKATRACA

27 de Setembro de 2018 às 17:03

FESTIVAL E HISTÓRIA: Confira a coluna "Lenha na Fogueira", por Zékatraca

FOTO: (Divulgação)

Começa nesta quinta feira o XVII

Festival de Praia de Costa Marques


 

Com show de bandas locais, começa nesta quinta feira 27, o XVII Festival de Praia de Costa Marques.

 

Segundo o promoter da 429 Cliuson Torres a festa deste ano, vai contar com dois concursos de beleza, o primeiro será a escolha da Garota Praia que vai contar apenas com candidatas de Costa Marques e Região e o outro, será o 2º Concurso Musa do Festival com representantes de vários municípios de Rondônia entre eles Ji Paraná, Porto Velho, Guajará Mirim, Rolim de Moura, São Francisco do Guaporé e Costa Marques. “Estamos apenas colaborando com coordenação do festival este ano, na direção do Musa do Festival. A programação geral, é de responsabilidade da prefeitura através do Departamento de Turismo que tem a frente o Cassiano”, explica Cliuson.

 

Durante os quatro dias do Festival acontecerão na praia de Curralinho local do Festival torneios de Vôlei de Areia e Futebol entre outras atividades esportivas. Diariamente o público será animado por bandas regionais e de outras cidades. “Contamos com o apoio do Corpo de Bombeiros, do Samu que estará com uma equipe de primeiros socorros na praia apta para atender qualquer eventualidade”, disse Cassiano.

 

 


 

 

Festival de Pesca

 

Domingo dia 30, acontece o Campeonato de Pesca de Costa Marques – Campescam que conta com o apoio do Departamento de Pesca da Setur que tem a frente o Jander Moro e com certeza, reunirá equipe de pescadores de outros estados. “Afinal de contas estamos no rio Guaporé um dos mais procurados pelos turistas pescadores do Brasil”, informou Cassiano.

 

O prefeito Mirandão conta com o apoio do governo do estado através da Sejucel, Setur e Sedam na realização do décimo sétimo Festival de Praia de Costa Marques.
 

 

Programação


 

Quinta dia 27 – DJ Isaque; Tile; Chiquinho Gonçalvez; Diogenes; Eliaquim e Forró Swing

Sexta feira dia 28 - Abertura Oficial; DJ Pams; Chiquinho Brasil; Banda Thaimes; Saulinho Burgues

Sábado dia 29 – Show Nacional; DJ Rick HB; Concurso Musa do Festival; Garota Praia 2018; Banda Forró Perfeito; Meury & Wesley.

Domingo dia 30 – Banda Explosão do Forró; Marcio Santorio; Banda Styllos

 

 

 

História do Carnaval em Porto Velho

Desfiles das escolas de samba
 

Apesar dos blocos dos clubes sociais, dominarem os desfiles carnavalescos, nas décadas de quarenta, cinqüenta e parte da década de sessenta, Porto Velho conta com desfile de escola de samba desde o carnaval de 1946.. Segundo conta o Severino Alexandre da Silva “A escola de samba Deixa Falar do Bola Sete, desfilou pela primeira vez no carnaval de 1946”.

 

No início da década de cinquenta surge à escola de samba “O Triângulo Não Morreu” e em novembro de 1958, surge a escola de samba “Prova de Fogo” que no carnaval de 1960, passou a ser chamada de “Universidade dos Diplomatas do Samba” e hoje, é apenas “Os Diplomatas”.. Os desfiles ainda eram na Presidente Dutra.


 

CURIOSIDADES

 

Um fato interessante foi que, com a criação da “Diplomatas", as duas escolas, “Triângulo” e “Deixa Falar”, deixaram de desfilar porque seus brincantes foram todos para a nova escola de samba. Isso fez com que a Diplomatas fosse à única escola de samba a se apresentar no carnaval de Porto Velho entre os anos de 1960 a 1964 quando surge a escola de samba "Os Pobres do Caiari".

 

A escola Pobres do Caiari surgiu exatamente, durante o desfile do carnaval de 1964 na Avenida Presidente Dutra, como bloco de sujo, daí o nome "Os Pobres do Caiari".

 

A Diplomatas do Samba dominou o carnaval de escola de samba durante dez anos. De 1959 a 1969 isso quer dizer, que ela foi à rainha da Presidente Dutra.

 


 

Deixa Falar a 1ª Escola de Samba

 

Eliezer Santos popularmente conhecido como Bola Sete, chegou a Porto Velho como Soldado da Borracha, justamente no mês de setembro de 1943, ano e mês em que o presidente Getúlio Vargas assinou o Decreto de criação do Território Federal do Guaporé.

 

Como Soldado da Borracha, Eliezer deveria, ao desembarcar no porto de Porto Velho, seguir para algum seringal, porém, por se destacar entre seus companheiros, pois sabia ler e escrever, foi contratado para trabalhar no Hospital São José pelo governo territorial.

 

Ainda bem que ele não foi para os seringais, pois se isso acontecesse o folião portovelhense só assistiria ao desfile de uma escola de samba, a partir de 1950 quando surge a escola “O Triangulo Não Morreu”.

 

Bola Sete “malandro” dos bons, acostumado em sua terra natal a frequentar as rodas de samba e desfilar durante o carnaval nessas agremiações, ao conhecer a “malandragem” de Porto Velho que frequentava principalmente o Mocambo e a Vila Confusão, resolveu juntamente com outros boêmios e foliões, criar uma escola de samba. Foi do pensamento a realização do desejo em poucos dias e então, criou a primeira escola de samba do então Território Federal do Guaporé a “DEIXA FALAR”.

 

Há alguns anos entrevistei o Porteiro, Severino Alexandre da Silva e ele contou o seguinte: “Eu estava servindo na terceira Cia de Fronteira em 1946. Era eu Antônio Leiteiro e outros que trabalhávamos no rancho, cortamos sacos de sarrapilha no fundo e do lado e fizemos as fantasias. Nascia ali a escola de samba “Deixa Falar”. O comandante ficou olhando. Tinha também o Alípio irmão do Bainha, o Preguinho apelido do Walter Bartolo, Jaime, Antônio Campo que era irmão do Cabeleira e o Inácio Campo pai; O Bola Sete era um dos baluartes e ainda tinha o Antônio Coxó e Eu com a Cobra”.,, (continua na próxima quinta feira).

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS