close

ABERTURA: Mostra Sesc de Música terá Binho e as bandas Quilomboclada e 3 de Nós

O evento, gratuito, inicia às 19h30

DA REDAÇÃO

21 de Outubro de 2019 às 12:30

ABERTURA: Mostra Sesc de Música terá Binho e as bandas Quilomboclada e 3 de Nós

FOTO: (Divulgação)

Inicia nesta terça-feira,22, a Mostra Sesc de Música, com mesa redonda, apresentação musical de duas bandas (3 de Nós e Quilomboclada) e show com o cantor Binho.

 

Na mesa redonda será discutido o tema “A História da MPB e dos Movimentos Musicais em Porto Velho”, às 19h30. Às 20 horas começam as apresentações musicais.

 

De acordo com os promotores do evento, a mostra tem por objetivo “dar visibilidade e escoamento do trabalho dos músicos e compositores locais, promovendo encontros, oficinas, palestras e experimentações que corroboram com o desenvolvimento artístico dos músicos, compositores e interpretes rondonienses”.

 

Os organizadores da mostra informaram ainda que o evento traz ao palco os novos talentos do estado e região, porém sem esquecer de manter o espaço dos artistas locais já consagrados.

 

Programação

 

Binho; 3DNos; Quilomboclada; Raony Ferreira; Aldenice Bento; Gabriê; Ana Lú; Rinaldo Santos; Minhas Raízes; Anayole Êba; Rud Prado; Tuer Lapin; Grupo Focus; Benvindo ao Pacífico; Soda Acústica; Silvinho Santos; Sons de Beira; Marcos Biesek; Marcela Bonfim – Gig Soul Preta; e, Mauro Araújo. Ainda, teremos palestras, oficinas, mesas de conversa e desenvolvimento de experimentações.

 

ABERTURA - 22/10

 

MESA: A História da MPB e dos movimentos musicais em Porto Velho
Participantes: Prof. Rubens Vaz (Binho), Samuel Pessoa (Quilomboclada)
Local: Teatro 1 Sesc
Horário: 19h20


A mesa visa discutir os movimentos de Música Popular de Porto Velho, e o movimento Beradeiro que colaborou com suas letras e canções sobre o orgulho Beradeiro, “ser Béra”! Estes movimentos são a base do desenvolvimento musical e artístico do nosso Estado, hoje são perceptíveis as produções artísticas e os coletivos que têm estes movimentos como escola filosófica e sociológica e fonte das suas produções, asseverando o orgulho Beradeiro e o modo de vida do povo destas terras amazônicas.

 

APRESENTAÇÕES

 

Local: Teatro 1 Sesc
Horário: 20h

 

Binho


Nascido na cidade beirando o Madeira, cultiva desde pequeno o hábito de expressar e referenciar a linguagem em palavras, imagens e sons, assim, produz artisticamente em várias modalidades de linguagem. Rubens Vaz Cavalcante – Binho, é um dos representantes profícuos e fecundos da geração de ouro da música Rondoniense, influenciando as novas gerações a criar os movimentos MPBera e Movimento Bera, compõem canções (com gravações efetuadas em vinil, CD e trilhas sonoras de vídeos), escreveu e apresentou peças teatrais, livros de poesia e prosa. Na mostra trará o espetáculo Pegadas de Curumim, com um recorte de sua produção artística musical fruto de sua longa carreira artística e literária.

 

3 DNós


O trio, em Porto Velho, integra o cenário Lítero-musical desde 2015, tendo se apresentando em vários eventos artísticos e Projetos Culturais. O Show Lítero-musical, visa por meio da música autoral promover a difusão da poesia e da música popular produzida na Região Norte contribuindo com a diversidade cultural e musical brasileira. No Show, são apresentadas canções, declamações, intervenções poéticas autorais, com a participação especial de músicos da cidade onde os poemas e canções permeiam entre as declamações da poeta Amadio, acompanhamento ao violão, intervenções de efeitos de Rinaldo Santos e a percussão e canto de Izabela Lima.

 

Quilomboclada


A origem do nome Quilomboclada – Vem da junção, fusão dos termos “Quilombo (que designa resistência) e “Caboclada (habitante local). A união desses termos significa algo como “Defesa, Resistencia da identidade local Beradeira, Ribeirinhas”, nesse caso, o cidadão morador de Região Norte. A banda foi formada em 2004 de uma reunião de amigos e dentre os muitos variados músicos e artistas. Atualmente a formações dispõem de dois vocalistas e Dj, que vieram do movimento Hip Hop, o baixista, dois guitarristas e o baterista que são originalmente mais ligados ao Rock e o percussionista veio das músicas instrumentista multiversos, assim, juntando a influência naturais e adquiridas de cada um, misturando tudo, para gerar o que costumamos chamar de MPBERA (Musica Popular Beradeira), procurando mixar no mesmo caldeirão do Bumba meu boi ao rap, passando pelo batuque afro-brasileiro, cantigas de rodas. Coco de embolada, carimbo… ETC. Sem esquecer de acoplar tudo numa arte integrada.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS