close

ESPAÇO ABERTO: Helicóptero dos Bombeiros comprado com dinheiro do TRT continua sem voar

Confira a coluna

RONDONIAOVIVO - CÍCERO MOURA

11 de Fevereiro de 2020 às 08:54

ESPAÇO ABERTO: Helicóptero dos Bombeiros comprado com dinheiro do TRT continua sem voar

FOTO: (Divulgação)

EXPECTATIVA


Daqui a cinco dias completa 05 anos que os bombeiros de Rondônia compraram um helicóptero estragado  com dinheiro doado pela Justiça do Trabalho. A aquisição da aeronave foi anunciada com muita pompa em uma solenidade no Hangar do Governo, e ficou nisso. O Presidente do TRT RO/AC, na época, chegou a elogiar os benefícios que a aeronave traria para o estado.
 

 

VEJA MAIS:

 


MANUTENÇÃO


Na primeira manutenção realizada em Rondônia, foi constatado problema que exigia a troca de peças avaliadas em R$ 500 mil. Na época, os bombeiros chegaram a informar que tinham o dinheiro disponível para o serviço. A corporação informou que foi feita licitação para o trabalho só que no meio do serviço a empresa que ganhou a licitação teria declarado falência. Isso teria obrigado a  formatação de um novo processo licitatório.

 

 

 


QUASE PRONTO  


O helicóptero está na empresa de manutenção Aeromot, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A direção da empresa informou que o trabalho está em fase final e que, provavelmente, em 60 dias a aeronave já possa ser liberada.

 


OUTRO ATRASO


Ainda, de acordo com a Aeromot, o serviço atrasou porque foram encontradas irregularidades no relatório de manutenção feito pela antiga proprietária do helicóptero, a empresa Abelha Taxi Aéreo, de Cuiabá, no Mato Grosso. Alguns componentes da turbina, por exemplo, estariam vencidos e isso não teria sido registrado no relatório. 

 


MEDIDAS


Um especialista em aviação, consultado pela coluna e que pediu para não ter o nome divulgado, diz que pelo valor do negócio, mais de R$ 1 milhão e 700 mil reais na época, era necessário fazer uma boa avaliação antes de fechar a compra. O especialista afirma que alguém deveria ter feito um relatório de pré compra,  datado da época, apontando as manutenções atrasadas e componentes que estavam vencidos.

 


IMPRESCINDÍVEL


É regra na aviação, quando se trata de compra e venda aeronave, que seja feita uma avaliação por empresa especializada com relatório técnico das condições operacionais e documentais da aeronave. No caso do helicóptero dos bombeiros, foi o então capitão Maia, hoje major e coordenador de infraestrutura aeroportuária do DER-RO, que teria feito a avaliação.

 


OUTRO LADO


O comandante do Corpo de Bombeiros de Rondônia, coronel Demargli Farias, informou por mensagem que havia novidades sobre o helicóptero. Ele passou o contato do major Philipe Rodrigues Maia Leite, que esteve envolvido em todo o processo de aquisição da aeronave, para esclarecer o que houve e em que pé está a operacionalização do tal helicóptero. O major Maia não retornou as mensagens da coluna.

 


OUTRO LADO 02


O empresário Hélio Vicente, dono da Abelha Taxi Aéreo, que vendeu o helicóptero para os bombeiros, disse que não tinha nada para declarar sobre a negociação referente à venda da aeronave.

 


MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO


O MPT enviou Nota sobre o assunto.


"O Ministério Público do Trabalho vem acompanhando e monitorando, desde a destinação judicial do helicóptero, os procedimentos de manutenção e correção necessários à sua utilização. Das informações prestadas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia, destinatário do helicóptero, verifica-se que os procedimentos estão sendo realizados, dentro dos prazos estabelecidos em lei, e devidamente acompanhados pela Procuradoria Geral do Estado de Rondônia." 

 

 

NOVO COMANDO


O tenente-coronel Telmo Luiz de Vasconcelos é o novo comandante do 5° BEC,em Porto Velho. Luiz assume no lugar do coronel Emerson Moraes que está sendo trasferido para Madri, na Espanha. Moraes vai participar do Curso de Altos Estudos Estratégicos para Oficiais Superiores Iberoamericanos e também será Instrutor na Escola Superior das Forças Armadas em solo espanhól.

 


OBRAS


Moraes, em dois anos de comando, fez diversos trabalhos em Porto Velho que são visíveis aos olhos da população. Entre as mais importantes ações estão manutenção da BR-364 de Candeias do Jamari à UNIR (trecho de pista dupla), recuperação de acervos da EF Madeira Mamoré, tendo como principal acervo recuperado um guindaste que estava enterrado no barranco, em local de muito difícil acesso,  terraplanagem, asfaltamento e drenagem superficial dos Bairros Mariana e São Francisco.

 

 

 

 


ACABAR COM A BURAQUEIRA


Outra demanda encaminhada pelo coronel Moraes foi a realização de estudos e análises para a recuperação da BR-364 pelo BEC ainda no primeiro semestre. As obras deverão acontecer no trecho da ponte do Abunã até a divisa do Acre, região que pertence a Porto Velho.

 

 

CHEQUE ESPECIAL


O Banco Central publicou ontem no “Diário Oficial da União” (DOU) uma circular que obriga as instituições financeiras a detalhar, no extrato bancário, uma série de informações sobre o uso do cheque especial.


Segundo o BC, as instituições financeiras devem informar:


- valor e forma de apuração da tarifa cobrada pela linha de crédito;
- taxa de juros efetiva ao mês cobrada pelo uso do cheque especial;
- limite contratado;
- valores utilizados diariamente e na data de retirada do extrato;
- valor dos juros acumulados pela utilização do serviço

 

 

CONTROLE DE DADOS DA INTERNET 


O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, saiu nesta segunda-feira (10) em defesa do Acordo de Assistência Judiciário-Penal firmado entre os governos brasileiro e norte-americano, que gira em torno do controle de dados de usuários por provedores de internet no exterior.


O decreto se tornou alvo de uma ação ajuizada pela Federação das Associações das Empresas de Tecnologia da Informação (Assespro Nacional) que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).


A audiência pública pôs lado a lado Moro e Gilmar, que tem sido uma das vozes mais críticas ao ex-juiz federal da Lava Jato dentro do tribunal. O ministro da Justiça é um dos principais nomes cotados para assumir uma das vagas que serão abertas no Supremo durante o mandato do presidente Jair Bolsonaro.

 


CAOS


A chuva que atingiu São Paulo é algo impressionante e serve de alerta para cidades como a nossa Porto velho. A capital paulista que, em matéria de saneamento e esgoto, está anos luz à frente de Porto Velho, não resistiu ao volume de água. As marginais Tietê e Pinheiros ficaram intransitáveis e os bombeiros recomendaram que as pessoas ficassem em casa.

 


DESTRUIÇÃO


Houve 16 desabamentos e 113 quedas de árvores, além de centenas de pontos alagados. O Tietê transbordou na altura da Ponte do Piqueri, sentido Castelo Branco e Ayrton Sena. O rodízio municipal de veículos foi suspenso para carros e caminhões. A Companhia de Engenharia de Tráfego colocou todo o efetivo no trabalho de auxílio aos condutores de veículos.

 

 

 

 


FRIO


Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia  uma frente fria se aproximou do sul de São Paulo provocando a chuva forte com queda acentuada nas temperaturas.

 


PORTO VELHO


A razão de ter citado nossa capital nesse texto é justamente para chamar a atenção dos governantes e também da população, principalmente os mau educados que enchem as ruas de entulho. Com 10 minutos de chuva forte, dezenas de bairros de Porto Velho já ficam um horror, imagina um volume de água como o ocorrido em São Paulo onde em um dia choveu 66% do previsto para o mês todo.

 

 

 

Mande suas sugestões de pauta, fotos, denúncias ou reclamações para espacoaberto@rondoniaovivo.com.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS