close

Dez brasileiros irão defender outras seleções na Copa do Mundo

Nascidos no país ou filhos de brasileiros, atletas estarão em times que enfrentarão o Brasil no Mundial

VEJA

5 de Junho de 2018 às 15:12

Dez brasileiros irão defender outras seleções na Copa do Mundo

FOTO: (Divulgação)

 

A Copa do Mundo que começa dia 14 de junho terá dez brasileiros jogando além dos 23 convocados por Tite. Diversas seleções terão descendentes ou jogadores nascidos no país, como Mario Fernandes, que jogará pela seleção local, a Rússia, e será o primeiro a entrar em campo. Veja abaixo a lista completa:

 

Mario Fernandes – Rússia

Formado no São Caetano e no Grêmio, Mario Fernandes rejeitou a seleção brasileira, alegando que não estava preparado para o desafio em 2011, quando Mano Menezes o convocou. Jogando no CSKA Moscou desde 2012, o lateral-direito conseguiu a cidadania russa em 2016 e desde então defende os anfitriões da Copa do Mundo de 2018.

 

Diego Costa – Espanha

Fez dois amistosos pela seleção brasileira em 2014, mas optou por defender a Espanha na Copa daquele ano. O atacante de 29 anos jogou por diversas equipes espanholas, mas se destacou no Atlético de Madri, clube que atualmente defende. Também foi centroavante do Chelsea, conquistando dois títulos do Campeonato Inglês.

 

Thiago Alcântara – Espanha

Nasceu na Itália, mas tem cidadania brasileira por ser filho de Mazinho, tetracampeão mundial pelo Brasil. Desde jovem defendeu as seleções de base da Espanha, inclusive vencendo as Eurocopas sub-21 e sub-18. O meio-campista é formado no Barcelona, clube que defendeu até 2013, quando se transferiu para o Bayern de Munique. O jogador de 27 anos tem em seu currículo cinco títulos do Campeonato Alemão, dois do Campeonato Espanhol e uma Liga dos Campeões.

 

Rodrigo – Espanha

Com passagens nas categorias de base do Real Madrid e do Flamengo, Rodrigo ganhou espaço na equipe Julen Lopetegui na reta final da preparação para a Copa do Mundo. O atacante do Valencia venceu a Eurocopa sub-21 em 2013 com a Espanha.

 

Pepe – Portugal

Pepe sempre jogou profissionalmente no futebol português, primeiro pelo Marítimo e depois pelo Porto. O zagueiro começou a defender a seleção portuguesa em 2007 e fez parte do grupo que conquistou a Eurocopa em 2016. O jogador de 35 anos – que defendeu o Besiktas na última temporada – se destacou no Real Madrid e no Porto. Vencendo três vezes a Liga dos Campeões e três vezes o Campeonato Espanhol.

 

Bruno Alves – Portugal

Filho do ex-jogador Washington Alves e nascido em Portugal, Bruno Alves tem cidadania brasileira, entretanto sempre jogou no futebol português e defendeu as categorias de base do time. Aos 36 anos, já jogou por Porto, Zenit, Fenerbahçe, Cagliari, entre outros times. Na última temporada jogou pelo Rangers. Participou da conquista da Eurocopa em 2016.

 

Celso Borges – Costa Rica

Celso Borges é filho do brasileiro naturalizado costa-riquenho Alexandre Guimarães, que foi para as Copas de 1990 (como jogador), 2002 e 2006 (como treinador). O meio-campista nasceu no país da América Central e participou da histórica campanha na Copa do Mundo de 2014. Aos 29 anos, defende o Deportivo La Coruña, da Espanha.

 

Giovani dos Santos – México

Campeão olímpico em 2012 sobre o Brasil, Giovani dos Santos é filho de brasileiro e jogou nas categorias de base do Barcelona. O meia teve passagens por Tottenham, Galatasaray, Villarreal e atualmente defende o Los Angeles Galaxy, dos EUA. O jogador de 29 anos sempre defendeu a seleção mexicana e já conquistou duas Copas Ouro.

 

Jonathan dos Santos – México

Irmão de Giovani, também começou nas categorias de base do Barcelona. Defendeu Villarreal e hoje joga no Los Angeles Galaxy. Aos 28 anos, tem três títulos do Campeonato Espanhol e um da Liga dos Campeões.

 

Thiago Cionek – Polônia

Thiago Cionek atua pela seleção polonesa desde 2014 e disputou a Eurocopa de 2016 pela equipe do Leste Europeu. Zagueiro de 32 anos, teve passagens pelo Cuiabá e CRB no Brasil e defendeu o Palermo e o Spal na última temporada. Conseguiu a cidadania polonesa em 2011, quando defendia o Jagiellonia Bialystok.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS