close
logorovivo2

Jogador acusado de se declarar do PCC pode ser suspenso

Maurim Vieira de Souza, do Paranavaí, ameaçou auxiliar de arbitragem

NOTÍCIA AO MINUTO

20 de Abril de 2018 às 16:51

Jogador acusado de se declarar do PCC pode ser suspenso

FOTO: (Notícia ao Minuto)

O TJD-PR (Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná) denunciou nesta sexta-feira (20) o jogador Maurim Vieira de Souza, do Paranavaí. O atleta teria ameaçado de morte o auxiliar de arbitragem e dito que pertencia à organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

 

Maurim foi denunciado em dois artigos pelo TJD: 243-C e 243-F. O primeiro consiste em "ameaçar alguém, por palavra, escrito, gestos ou por qualquer outro meio, a causar-lhe mal injusto ou grave". Já o segundo diz: "Ofender alguém em sua honra106, por fato relacionado diretamente ao desporto".

 

O jogador pode ser multado de R$ 100 a R$ 100 mil pelo primeiro artigo, além de suspenso de 30 a 12 dias. O segundo prevê também uma multa de mesmo valor e uma suspensão de uma a seis partidas.

 

O caso aconteceu durante a partida entre Paranavaí e Independente, pela segunda divisão do Campeonato Paranaense. Na súmula do jogo, o árbitro João Paulo Romano Queiroz relatou as ameaças que teriam sido feitas por Maurim.

 

"Seu ladrão, safado, você tem que voltar esse pênalti, eu sou do PCC e vou colocar o revólver na sua boca e você vai sentir o gosto da bala."

 

Além do processo desportivo, Maurim deve enfrentar uma investigação criminal. O advogado da Apaf (Associação Profissional dos Árbitros de Futebol do Paraná), Eduardo Vargas, disse que os clientes registraram boletim de ocorrência contra o atleta.

 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil paranaense foi procurada, mas não deu informações sobre a apuração.

 

 

OUTRO LADO

 

Maurim foi procurado por telefone e não atendeu às ligações. Ele leu as mensagens enviadas por WhatsApp e não respondeu. Desde a primeira manifestação sobre o caso, o jogador nega que tenha se declarado membro do PCC e ameaçado o bandeirinha.

 

Na última entrevista, na quarta-feira (18), o lateral falou que disse ao assistente que ele não apitaria mais os jogos do ACP (Atletico Clube Paranavai). Afirmou que o auxiliar deve ter se confundido. Maurim contou que entraria em contato com a advogada do clube para preparar sua defesa. Com informações da Folhapress.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS