close
logorovivo2

Políticos profissionais

POR OSMAR SILVA

17 de Setembro de 2018 às 11:27

Ter mandato político é uma coisa tão boa no Brasil, que virou até profissão. É comum ouvirmos políticos declararem que 'sou profissional da política. Ou 'sou político profissional'.


 

Não me surpreenderá se surgir, quem sabe até já surgiu no Congresso Nacional um Projeto de Lei reconhecendo e regulamentando a profissão: político. Igual a médico, engenheiro, eletricista, professor e marceneiro.


 

Me surpreenderá menos ainda se algum deles apresentar e aprovar uma emenda garantidora de estabilidade. Algo como 'após cumprido o 3º mandato consecutivo no parlamento ou 3 mandatos alternados no executivo, fica assegurada a permanência no cargo até o final dos tempos'.


 

Pois é tão bom e vantajoso ter cargo político público no Brasil, que o pobre e o de renda média pintam o sete para obtê-lo e ficarem ricos. É um vantajoso e excelente negócio. É só ter habilidade para não deixar pistas nem ser flagrado, que passará quantos mandatos conquiste, só recolhendo dinheiro e aumentando o poder de barganha, de influência e de pressão. Quer melhor do Isso?


 

E descaradamente, cinicamente, debochadamente, bater no peito e dizer 'sou honesto", "sou ficha-limpa", "todas as acusações que fizeram contra mim foram levianas, não provaram nada. Sempre confiei na Justiça".


 

Jamais dirrão a quem corrompeu nem quanto ou o que custou para ver o processo arquivado por 'falta de provas'. É, meu amigo, é assim mesmo. O homem bom e o homem mau estão em todos os ambientes. Até nos meios sagrados.


 

O rico e ambicioso não se contenta com a fortuna que já acumulou não importa por quais meios. Se foi corrompendo autoridades, sonegando impostos, explorando trabalhadores, traficando, comprando mercadorias roubadas, grilando terras ou até matando pessoas.


 

O que importa é que tem muito dinheiro e não está preso. Embora tenha processos até com condenações, tem bons advogados para defendê-lo e cacife em caixa para pagar o que for preciso. E ainda sobrará muita grana para viver no luxo.


 

Mas para ter uma vida mais sossegada ainda com o poder econômico obtido, precisa agora do passaporte do poder político. Isso mesmo. Um mandato de governador ou deputado federal ou de senador da República.


 

Bingo! Mata dois coelhos com uma só cajadada. Ganha foro privilegiado, todas as despesas pagas, entra para o restrito clube do Senado, da Câmara ou de governadores e ainda ganha mais dinheiro. Tem melhor? Nem o céu!


 

É por tudo isso que o deputado Nilton Capixaba impedido de concorrer à reeleição, já apresentou a mulher como candidata em seu lugar. Vereador que vira deputado estadual logo dá um jeito de eleger a mulher ou o filho a qualquer coisa. Até por falta de talento para outra coisa.


 

Essa prática tem um nome antigo, rançoso, coberto de bolor que teima em subsistir em pleno século 21: oligarquia. O mando e domínio político eternizado por um grupo ou famílias. Todos vivendo e fazendo fortuna na política. Eles integram a categoria dos políticos profissionais.


 

O estado do Maranhão é o retrato mais acabado dessa excrescência. Esse retrato embolorado tem que ser extirpado. Vamos começar fazer isto a partir do próximo dia 7 de outubro?


 

OsmarSilva - Jornalista - Presidente da Associação da Imprensa de Rondônia - Editor do noticiastudoaqui.com - sr.osmarsilva@gmail.com - sApp 99265.0362

MAIS COLUNAS

Osmar Silva

Osmar Ferreira da Silva, 70 anos, jornalista, bacharel em direito pela Uniron, vindo da Bahia ha 36 anos, fundador do Jornal O Parceleiro em 1979 em Ariquemes, e Gazeta de Rondônia em 1980 em Ji-Paraná, escritor ficcionista e poeta inédito. Ex-secretário de Justiça, ex-diretor do Sebrae, no governo Jerônimo Santana, ex-presidente do Iteron(Instituto de Terras de Rondônia) no governo Osvaldo Piana, ex-secretário de Administração e ex-secretário de saúde de A

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS