close

Sítios arqueológicos de Presidente Médici são indicados pelo IPHAN para reconhecimento como Patrimônio Mundial da UNESCO

Sítios arqueológicos de Presidente Médici são indicados pelo IPHAN para reconhecimento como Patrimônio Mundial da UNESCO

DA REDAÇÃO

22 de Novembro de 2008 às 08:18

Sítios arqueológicos de Presidente Médici são indicados pelo IPHAN  para reconhecimento como  Patrimônio Mundial da UNESCO

FOTO: (Divulgação)

O patrimônio arqueológico de Presidente Médici, região central de Rondônia,  foi aceito na Lista Indicativa Brasileira de bens culturais passíveis de serem reconhecidos como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Recentemente, o IPHAN em parceria com a Prefeitura inaugurou um Centro de Arqueologia na cidade para receber os achados arqueológicos da região.

Para Beto Bertagna, o Superintendente Regional do IPHAN em Rondônia e Acre,  “ a região de Presidente Médici tem uma grande beleza cênica e uma alta densidade de sítios arqueológicos habitação lito-cerâmicos e de grafismos rupestres bastante diversificados advindos de contatos inter-étnicos.”

“- A região foi densamente ocupada e possivelmente utilizada como refúgio e trânsito entre diferentes ambientes, o que permite teorias que a apontam como o centro de dispersão dos povos tupi que itineravam por todo o país” – concluiu Bertagna.

Em 1972, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco estabeleceu a Convenção do Patrimônio Mundial para incentivar a preservação de bens culturais e naturais considerados significativos para a humanidade.

Essa Convenção enseja que estes bens tenham um valor universal e um interesse excepcional que justifique que toda a humanidade se empenhe em sua preservação, enquanto testemunhos únicos da diversidade da criação humana.

Sua construção e implementação resultam de um esforço internacional na valorização de bens, que por sua importância para a referência e identidade das nações, possam ser considerados patrimônio de todos os povos.

As informações sobre cada candidatura são avaliadas por organismos técnicos consultivos, segundo a natureza do bem em questão, e a aprovação final é feita anualmente pelo Comitê do Patrimônio Mundial, integrado por representantes de 21 países, entre eles o Brasil

O Presidente do IPHAN, Luiz Fernando de Almeida é o representante legal com direito a voz e voto.

Segundo Bertagna, a indicação vem em boa hora, num momento em que o patrimônio arqueológico de Rondônia, pela sua expressão e valor, ganha importância para a comunidade científica e a população.

“ - Muitos curiosos estão dando opiniões completamente equivocadas na mídia, como se fossem , de fato, arqueólogos.  Nós do IPHAN estamos atentos , no sentido de cumprir a legislação ,protegendo e divulgando o patrimônio cultural brasileiro” – concluiu.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS