close

Recorde de passes errados e constrangimento – Por Domingues Jr.

Recorde de passes errados e constrangimento – Por Domingues Jr.

DA REDAÇÃO

10 de Agosto de 2010 às 14:40

Recorde de passes errados e constrangimento – Por Domingues Jr.

FOTO: (Divulgação)

A um passe...

 

O torcedor pergunta se a explicação para a escassez de gols e da má fase do Flamengo pode ser a grande quantidade de passes que a equipe erra durante as partidas. O Rubro-Negro é o recordista do Campeonato Brasileiro, já falhou neste fundamento 496 vezes. O torcedor pergunta também se tanto passe errado assim é culpa do treinador.

 

Da eternidade

 

Olha, caro amigo torcedor, passe errado é sim erro de posicionamento, falta de padrão tático e entrosamento. Mas também tem a ver com técnica: fundamento que muitos jogadores não conhecem bem. Se bem que, mesmo um time limitado, se tiver bem treinado e posicionado, erra menos passes e sabe o que fazer com a bola. O que não tem sido o caso do Mengão.

 

Mas, bah!

 

Renato Gaúcho está de volta, guri. Gremista de história e carteirinha ele retorna ao clube que o consagrou e que ele ajudou a consagrar. O herói de 1983 ainda busca seu lugar ao sol no universo restrito dos técnicos vencedores. Deixa o Bahia na sexta posição, para tentar fazer no Tricolor aquilo que fez no Flu: levar o time para a Libertadores...E evitar o que houve quando estava no Vasco: cair para a Segundona. Maior medo e pesadelo da parte azul, preta e branca do Rio Grande.

 

Amigos

 

A CBF quer a seleção mais perto do torcedor. Precisa começar a marcar amistosos no Brasil então. Ou só o brasileiro que mora fora tem direito a ver os jogos? E não precisava essa puxada de saco no jornalista da Globo, o Escobar, aquele da briga com o Dunga. Tudo bem fazer uma camisa com o nome dele e enviar com as devidas desculpas. Mas divulgar pro mundo todo? Acho que até o rapaz ficou constrangido.

 

Não deu na D

 

Até mesmo a Série D foi demais para o Vilhena. Sem conseguir manter a base vencedora do Estadual, o Lobo optou por caras novas. Jogar na base da vontade, intuição e, quem sabe, uma pitada de sorte. Não deu certo. O futebol fala uma linguagem universal quando o assunto é planejamento, trabalho, resultado. E bate pesado quando alguns princípios não são respeitados. A história do onze contra onze é boa na resenha do vestiário ou do bar, mas os onze que vencem geralmente são os que se prepararam melhor.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS