close
logorovivo2

Irregularidades graves levam TCE a suspender licitação do Estado para aquisição de centrais de ar

A decisão, publicada na edição nº 295 do Diário Oficial Eletrônico do TCE, foi tomada em virtude de irregularidades consideradas graves detectadas pelo corpo técnico da Corte de Contas.

DA REDAÇÃO

16 de Outubro de 2012 às 11:32

Irregularidades graves levam TCE a suspender licitação do Estado para aquisição de centrais de ar

FOTO: (Divulgação)

Foi suspenso pelo Tribunal de Contas (TCE), através da Decisão Monocrática nº 93/2012/GCJGM, o Pregão Eletrônico nº 652/2012/CPL-BETA/SUPEL-RO, deflagrado pelo Estado para formação de registro de preços visando futuras e eventuais aquisições de 340 aparelhos de ar-condicionado, tipo central de ar, com instalação, suporte e assistência técnica incluídos.
 
O procedimento está orçado em mais de R$ 1 milhão, e visa atender as necessidades da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), incluindo as coordenadorias que compõem a sede, os Escritórios Regionais de Gestão Ambiental (Ergas) e o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA).
 
A decisão, publicada na edição nº 295 do Diário Oficial Eletrônico do TCE, foi tomada em virtude de irregularidades consideradas graves detectadas pelo corpo técnico da Corte de Contas.
 
Entre outras inconformidades, foi apontada a não definição do objeto da licitação de maneira clara e precisa, já que, para os aparelhos de ar com potência de 24 mil a 60 mil BTUs, definiu-se classificação energética entre os níveis “A” e “C” do Inmetro, critério incoerente, segundo o TCE, para o julgamento objetivo dos lances pelo menor preço, mediante as possíveis ofertas de aparelhos da mesma potência e com classificações energéticas diferentes.
 
Outra irregularidade foi o fato de os licitantes não trazerem, como elementos necessários à motivação e justificativa para a compra, os necessários laudos técnicos, assinados por engenheiro elétrico, garantindo que as unidades que receberão os aparelhos contam com uma estrutura elétrica adequada, bem como demonstrando as áreas físicas a serem climatizadas, de modo a comprovar que as potências dos aparelhos serão adequadas para esse fim.
 
Diante da possibilidade de dano ao erário e para proteger o interesse público, o TCE proferiu monocraticamente a decisão que determinou à Superintendência de Compras e Licitações (Supel) a suspensão do pregão, até nova determinação da Corte de Contas.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS