close
logorovivo2

LAVA JATO – Obra da UHE Santo Antônio será investigada pela Polícia Federal

O inquérito vai investigar supostos crimes de corrupção ativa e passiva, quadrilha, lavagem de capitais e de fraude a licitações.

DA REDAÇÃO

28 de Setembro de 2016 às 14:34

LAVA JATO – Obra da UHE Santo Antônio será investigada pela Polícia Federal

FOTO: (Divulgação)

A Polícia Federal (PF) abriu nessa terça-feira (27) inquérito relacionado à 35ª fase da Operação Lava Jato, que prendeu o ex-ministro da Casa Civil no governo Dilma Rousseff e ex-ministro da Fazenda no governo Lula, Antonio Palocci.

O inquérito investiga contratos de obras realizadas pela empreiteira Odebrecht em que há suspeita de interferência do ex-ministro. A base da investigação é a planilha que revelou o Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht – departamento cuja finalidade seria pagamento de propina a agentes políticos.

O inquérito vai investigar supostos crimes de corrupção ativa e passiva, quadrilha, lavagem de capitais e de fraude a licitações.

A construção da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, no rio Madeira em Porto Velho, está na lista de obras suspeitas e será investigada no inquérito da Polícia Federal.  

Além de Palocci, foram presos temporariamente na fase mais recente da Lava Jato o ex-secretário da Casa Civil Juscelino Antônio Dourado, e Branislav Kontic, que atuou como assessor do ex-ministro.

A chamada operação “Omertá”, em referência ao silêncio de mafiosos em autoproteção, deflagrada na segunda-feira (26), de acordo com a Força-Tarefa é “decorrência lógica” do aprofundamento das investigações da 23ª fase da Lava Jato, que revelou planilhas do Setor de Operações Estruturadas da empreiteira Odebrecht.

O delegado Filipe Hille Pace declarou na segunda que o objetivo desta etapa é embasar investigações, com apreensão de documentos, depoimentos e prisões.

São investigados pagamentos feitos ao PT, por meio de depósitos pela Odebrecht intermediados por Antônio Palocci: R$ 33,3 milhões via offshores ao casal João Santana e Mônica Moura, além de R$ 10 milhões por meio da empresa Shelbil,  R$ 44 milhões recebidos por Jucelino Dourado (ex-assessor de Palocci) e outros R$ 7 milhões em 2012.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS