close
logorovivo2

ITU’s - Infecções do trato gênito urinário, médico da Astir explana

O diagnóstico, segundo o médico é realizado com o relato do paciente, exame de urina (EAS)  e outros se necessário.

ASSESSORIA- ASTIR

15 de Maio de 2018 às 09:17

ITU’s - Infecções do trato gênito urinário, médico da Astir explana

FOTO: (Assessoria- Astir)

O médico, Daniel Franco explana o que são infecções do trato genito urinário, também conhecidos na nomenclatura médica como ITU’s. O diagnóstico, segundo o médico é realizado com o relato do paciente, exame de urina (EAS)  e outros se necessário.

 

A correria da rotina te faz esquecer-se de urinar ao longo dia? Então fique atento! O esvaziamento periódico da bexiga é uma defesa do corpo e reter a urina por longos períodos pode causar infecção do trato urinário (ITU).

 

O sistema urinário é composto pelos rins, ureteres, a bexiga e a uretra, responsáveis pela filtragem e eliminação de substâncias nocivas ao organismo. A urina é filtrada pelos rins e segue pelos ureteres, sendo armazenada na bexiga. Para ser expelida, ela percorre o canal chamado uretra.

 

A ITU ocorre com a invasão de bactérias, comumente a Escherichia Coli, mas outros microorganismos podem causar o quadro, que atinge o trato urinário inferior (cistite e uretrite ou vulvonaginite) e superior, os rins e a pelve renal (pielonefrites).

 

De acordo com o médico quando identificada alguma alteração na urina, como ardência, coloração escura e maior freqüência de idas ao banheiro com pouca urina, é necessário buscar ajuda médica de forma imediata. “O importante é cuidar do quadro, procurar um médico, porque a infecção pode começar pelo trato inferior e subir para os rins, tornando-se uma infecção grave”, esclarece.

 

Alguns fatores podem facilitar a presença de bactérias e, conseqüentemente, quadros de infecção. Nos homens, a uretra tem de 15 a 20 cm, enquanto nas mulheres varia de 4 a 5 cm de comprimento, sendo este um dos motivos para maior incidência de infecção urinária em pessoas do sexo feminino.

 

As bactérias rapidamente alcançam a bexiga, sendo comuns os casos de repetição, em que a infecção ocorre com freqüência em algumas mulheres. Para os homens, a higiene peniana inadequada, principalmente em não circuncidados, pode resultar em infecções.

 

É preciso estar atento às práticas sexuais que exponham o canal urinário ao conteúdo fecal. Após as relações sexuais é indicado urinar e realizar a higiene do órgão genital. O consumo adequado de líquidos também é um importante fator de prevenção do quadro infeccioso. “É preciso fazer os procedimentos normais de higiene no dia a dia. Lavar-se após evacuar, beber bastante líquido e urinar regularmente para limpar a uretra”, explica o médico.

 

Outros grupos também estão mais suscetíveis ao quadro, como pessoas com problemas na bexiga, dificuldade para urinar, baixa imunidade, disfunção ou incontinência urinária e outros fatores.

 

Em casos de desconfiança de infecção do trato urinário, busque um profissional de saúde, pois somente ele pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

 

O médico alerta: Não tome medicamentos por conta própria ou por indicações de terceiros, principalmente antibióticos, antiinflamatórios, analgésicos potentes, entre outros, pois podem ser prejudicial a sua saúde e retardar a cura da patologia. Então evite complicações, disse Daniel Franco.

 

 

SGT PM RR Fábio Macedo – Presidente do Conselho Administrativo da Astir

 

 

O Presidente do Conselho Administrativo da Astir, SGT PM RR Fábio Macedo fala que diariamente médicos clinico geral e outros atendem no ambulatório da Astir, qualquer dúvida o associado poderá ligar para 3223 – 3686. “A Astir mantém o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) para urgências e emergência com médico equipe de enfermagem, padrão, equipamentos e aparelhos de ultima geração, exames laboratoriais, medicamentos apropriados para pacientes críticos, entre outros”, finalizou Fábio Macedo.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS