close
logorovivo2

PERCENTUAL: Conta de luz no DF terá aumento extra de 8,81% a partir de sexta (22)

O percentual será pago a mais por cerca de um milhão de consumidores da Companhia Energética de Brasília (CEB).

METROPOLES

19 de Junho de 2018 às 15:29

PERCENTUAL: Conta de luz no DF terá aumento extra de 8,81% a partir de sexta (22)

FOTO: (Divulgação)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou, nesta terça-feira (19/6), aumento médio de 8,81% na conta de luz dos brasilienses. O reajuste extra entra em vigor na sexta (22) e atinge cerca de um milhão de consumidores da Companhia Energética de Brasília (CEB).

 

Trata-se do segundo aumento na conta de energia em menos de um ano – em outubro de 2017, o reajuste foi de 8,46%. E neste ano a concessionária do DF queria mais: 30%.

 

Como a legislação prevê apenas uma atualização de valores por ano, a CEB submeteu à Aneel o pedido de Revisão Tarifária Extraordinária. O pleito foi alvo de uma consulta pública. No entanto, a única manifestação sobre o assunto foi da própria CEB. A estatal argumentou que precisaria de um aumento muito maior, de 30%, para reequilibrar as contas.

 

O reajuste extraordinário foi aprovado em audiência pública da Aneel na tarde desta terça-feira (19). De acordo com o colegiado, o aumento será sentido de maneira diversa pelos consumidores de alta e baixa tensão – sendo a média 8,88% para os primeiros e de 8,78% para os demais.

 

Ao fazer o pedido de revisão tarifária, a empresa argumentou que precisava balancear as contas. Segundo a estatal, os custos com compra de energia e encargos setoriais não foram totalmente cobertos com o último reajuste (8,46%), aplicado em outubro do ano passado.

 

O rombo estimado pela empresa é de R$ 200 milhões, mas pode ser mais do que o dobro, de acordo com informações de mercado. Os problemas financeiros estão ligados ao chamado risco hidrológico, que ganhou dimensões bilionárias no mercado de energia elétrica no Brasil.

 

Conforme informou a estatal, os custos foram causados pelas usinas de Belo Monte, Jirau e Santo Antônio, além de motivados pela importação de energia, acionamento de termoelétricas, uso de energia de reserva e atraso em obras de linhas de transmissão.

 

Desde 2015, o mercado de energia elétrica é afetado por essa situação, e a inadimplência acumulada deve chegar a números próximos dos R$ 3 bilhões, de acordo com o Conselho de Administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.

 

Além do aumento extra autorizado nesta terça (19), os consumidores devem se preparar para novo reajuste em outubro, este anual e normalmente autorizado pela Aneel. Porém, o percentual ainda não foi definido.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS