close
logorovivo2

INVESTIGAÇÃO: Ministério do Trabalho amanhece com salas reviradas

As duas salas ficam no primeiro andar do prédio que está isolado para a perícia.

AGENCIA BRASIL

16 de Julho de 2018 às 14:18

INVESTIGAÇÃO: Ministério do Trabalho amanhece com salas reviradas

Policia Federal chega ao Ministério do Trabalho para periciar salas que foram reviradas. FOTO: (Divulgação)

Servidores do Ministério do Trabalho encontraram salas da área de seguro-desemprego reviradas quando chegaram ao prédio na manhã de hoje (16). A Polícia Federal faz perícia no local.

 

As duas salas ficam no primeiro andar do prédio que está isolado para a perícia. De acordo com a assessoria de imprensa do ministério, em uma delas objetos foram quebrados, estão jogados no chão e os armários foram remexidos. Na outra, há portas de armários abertas.

 

De acordo com a assessoria, ainda não é possível afirmar se houve ocupação do prédio e se há sinais de arrombamento nas salas. O prédio tem câmeras de segurança que podem ter gravados as imagens do incidente.

 

O Ministério do Trabalho está no centro da operação Registro Espúrio, da Polícia Federal que apura a suspeita de fraudes no registro de sindicatos junto ao ministério.

 

No último dia 5, o então ministro do Trabalho, Helton Yomura, pediu exoneração do cargo após ter sido um dos alvos da terceira fase da operação. O chefe de gabinete de Yomura, Júlio de Souza Bernardes, foi preso temporariamente por cinco dias e teve os sigilos telefônicos e bancários quebrados. Ele também pediu exoneração do cargo.

 

Em nota divulgada no início da tarde, o Ministério do Trabalho informou que na perícia a Polícia Federal recolheu impressões digitais e solicitou as imagens das câmeras de segurança. Informou ainda que, assim que soube do incidente, o ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello, entrou em contato com a diretora-executiva da Polícia Federal, Silvana Helena, e pediu apuração rápida e rigorosa do caso.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS