close
logorovivo2

HULT PRIZE: Ulbra Porto Velho participa de competição internacional

Competição é restrita aos alunos da Ulbra Porto Velho

ASSESSORIA

15 de Agosto de 2018 às 14:35

HULT PRIZE: Ulbra Porto Velho participa de competição internacional

FOTO: (Assessoria)

A acadêmica do terceiro período do curso de Engenharia de Produção da Ulbra Porto Velho foi aceita como diretora de campus do Hult Prize, que é considerado o prêmio Nobel dos estudantes, no início deste mês.

 

O evento visa descobrir novos projetos e talentos voltados para o desenvolvimento social e sustentabilidade, promovido pela Hult Prize, Fundação Bill Clinton e Organizações das Nações Unidas (ONU).

 

O projeto deve ser pensado de forma que seja viável sua produção tanto no Brasil ou em qualquer localização do mundo, desde que tenha condições de beneficiar até 10 milhões de pessoas.

 

O projeto é ousado. Através do interesse e da participação da estudante, a Ulbra Porto Velho é uma das quatro universidades que está participando da competição, juntamente com PUC do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). "Este é o resultado de um trabalho de equipe, quando em 2017 demos início a realização da construção das mantas térmicas sustentáveis. O conhecimento da competição veio apenas quando tive a oportunidade de participar do Centro de Estudos Ibéricos (CEI) em Portugal e Espanha em julho deste ano", frisou a estudante.

 

Nesta terça-feira, 14 Vera Lúcia fará uma apresentação oficial da competição aos alunos de todos os cursos da Ulbra Porto Velho, a fim de estimular a produção científica das startups com vistas a desenvolver a soluções inovadoras de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). A premiação é de U$$ 1 milhão que será entregue na sede da ONU em Nova York (EUA) em 2019.

 

Mais informações (69) 99204-4535 Vera Lúcia

 

 

Sobre a Hult Prize

 

O Hult Prize é o maior movimento estudantil do mundo para a criação de novas startups. Ele busca promover uma interação e competição entre estudantes para repensar o futuro do desenvolvimento social, com a participação mais de 150 países. São formadas equipes de quatro integrantes, da graduação ou pós-graduação, no intuito de desenvolver um projeto de startup que contribua com a resolução de alguns dos objetivos levantados pela ONU, como erradicação da pobreza, igualdade de gênero, educação de qualidade, combate às alterações climáticas, dentre outros.

 

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS