close

PREVENÇÃO: Departamento Médico da Assembleia Legislativa adere ao Novembro Azul

Exames preventivos contra o câncer da próstata são oferecidos aos servidores da Casa de Leis

ALE/RO

21 de Novembro de 2018 às 16:50

PREVENÇÃO: Departamento Médico da Assembleia Legislativa adere ao Novembro Azul

FOTO: (Divulgação)

A Assembleia Legislativa, através do Departamento Médico e em alusão ao Novembro Azul, realiza nesta quarta-feira (21) exames de PSA, glicemia e testes rápidos de HIV, hepatites B e C e sífilis, destinadas a atender os servidores da Casa de Leis.

 

A ação faz parte da campanha ‘Homem também precisa se cuidar’, que tem o intuito de informar e conscientizar a população masculina para cuidar da sua saúde, principalmente se prevenindo contra o câncer de próstata, a segunda doença mais comum entre os homens, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

 

Para o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho (MDB) a campanha mundial Novembro Azul é assunto sério, por isso merece atenção especial da Casa de Leis.

 

É um movimento de grande importância que vem para desmistificar e falar, com seriedade, sobre a necessidade do exame de próstata como método preventivo contra esse tipo de câncer, que atinge os homens e que é o segundo mais comum no Brasil”, ressaltou o presidente Maurão.

 

A diretora do Departamento Médico, Sandra Galdino Leite de Souza destaca a importância do diagnóstico feito ainda no início da doença.

 

“Quando diagnosticado precocemente, as chances de cura deste tipo de câncer aumentam para 90%. O grande desafio é que ainda há muito preconceito por parte dos homens quanto à realização de exames preventivos e nossa ação é justamente trabalhar a prevenção dos nossos servidores. Essa discriminação atrapalha o combate contra o câncer de próstata, por isso o Novembro Azul é fundamental”, afirma a diretora.

 

Dentre os fatores de risco do câncer de próstata a idade é uma delas. Homens acima dos 50, ou 45, se fizerem parte do grupo de risco, devem ir ao urologista anualmente. Histórico familiar, obesidade, tabagismo, inflamação da próstata, doenças sexualmente transmissíveis e homens que fizeram vasectomia.

 

Vale ressaltar que ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que o indivíduo terá a doença. Muitas pessoas que contraem a doença podem não estar sujeitas a nenhum fator de risco conhecido.

 

De acordo com especialistas, se uma pessoa com câncer de próstata apresenta algum fator de risco, muitas vezes é difícil saber o quanto esse fator pode ter contribuído para o desenvolvimento da doença.

 

A Assembleia Legislativa, através do Departamento Médico e em alusão ao Novembro Azul, realiza nesta quarta-feira (21) exames de PSA, glicemia e testes rápidos de HIV, hepatites B e C e sífilis, destinadas a atender os servidores da Casa de Leis.

 

A ação faz parte da campanha ‘Homem também precisa se cuidar’, que tem o intuito de informar e conscientizar a população masculina para cuidar da sua saúde, principalmente se prevenindo contra o câncer de próstata, a segunda doença mais comum entre os homens, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

 

Para o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho (MDB) a campanha mundial Novembro Azul é assunto sério, por isso merece atenção especial da Casa de Leis.

 

É um movimento de grande importância que vem para desmistificar e falar, com seriedade, sobre a necessidade do exame de próstata como método preventivo contra esse tipo de câncer, que atinge os homens e que é o segundo mais comum no Brasil”, ressaltou o presidente Maurão.

 

A diretora do Departamento Médico, Sandra Galdino Leite de Souza destaca a importância do diagnóstico feito ainda no início da doença.

 

Quando diagnosticado precocemente, as chances de cura deste tipo de câncer aumentam para 90%. O grande desafio é que ainda há muito preconceito por parte dos homens quanto à realização de exames preventivos e nossa ação é justamente trabalhar a prevenção dos nossos servidores. Essa discriminação atrapalha o combate contra o câncer de próstata, por isso o Novembro Azul é fundamental”, afirma a diretora.

 

Dentre os fatores de risco do câncer de próstata a idade é uma delas. Homens acima dos 50, ou 45, se fizerem parte do grupo de risco, devem ir ao urologista anualmente. Histórico familiar, obesidade, tabagismo, inflamação da próstata, doenças sexualmente transmissíveis e homens que fizeram vasectomia.

 

Vale ressaltar que ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que o indivíduo terá a doença. Muitas pessoas que contraem a doença podem não estar sujeitas a nenhum fator de risco conhecido.

 

De acordo com especialistas, se uma pessoa com câncer de próstata apresenta algum fator de risco, muitas vezes é difícil saber o quanto esse fator pode ter contribuído para o desenvolvimento da doença.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS