close
logorovivo2

A CIÊNCIA EXPLICA: Injeção de álcool puro pode ajudar homens a dormirem melhor

A descoberta é capaz de diminuir o aumento da próstata por motivo de doença em cerca de um terço

NOTÍCIAS AO MINUTO

29 de Dezembro de 2018 às 10:09

A CIÊNCIA EXPLICA: Injeção de álcool puro pode ajudar homens a dormirem melhor

FOTO: (Divulgação)

Receber uma injeção de álcool puro nos glúteos poderia ajudar milhões de homens a dormirem uma noite de sono mais descansada, revela uma nova pesquisa. A descoberta é capaz de diminuir o aumento da próstata por motivo de doença em cerca de um terço, reduzindo assim a necessidade dos homens acordarem durante a noite para urinar em 48%.

 

A comunidade médica reagiu à descoberta recente afirmando que se trata de “excelentes notícias”. Os sintomas de próstata aumentada incluem incontinência e visitas repetidas e constantes ao banheiro.

 

Isso acontece porque a glândula de tamanho desproporcional pressiona a bexiga e bloqueia a uretra. Apesar desses sintomas poderem ser controlados através de remédios, podem ainda assim causar efeitos secundários, tais como a perda de libido.

 

Além disso, a condição da próstata aumentada ser dolorosa e invasiva, pode também causar infertilidade e impotência. Os pacientes aos quais foi administrado o novo tratamento não sofreram quaisquer efeitos secundários severos.

 

O tratamento envolveu injetar a próstata aumentada dos doentes com nove doses de álcool puro, usando uma agulha de 25 centímetros, através da parede do reto. O ensaio clínico que envolveu homens de idade média de 60 anos revelou que aquela glândula diminuiu em média 35%, e que os participantes experimentaram 48% de redução dos sintomas.

 

O líder do estudo, o investigador Alessandri Rafael Espinoza, médico no Hospital Universitário de Caracas, na Venezuela, disse: “A redução do tamanho da próstata com etanol (álcool puro) foi significativa”.

 

“A injeção à base de etanol pode ser extremamente eficaz, tratando-se de um método alternativo não cirúrgico ideal para os pacientes que sofrem de hiperplasia prostática benigna (próstata aumentada)”. O estudo inédito foi publicado no periódico científico Spanish Urological Records.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS