close

SERVIÇO: Raiz Nativa realiza projeto em reassentamentos rurais na capital

ORGANIZAÇÃO RAIZ NATIVA – O.R.N. desenvolve o Projeto “Implantação de Um Viveiro de Mudas para Reflorestamento Agroecológico do Reassentamento Riacho Azul, São Domingos e Entorno”

DA REDAÇÃO

20 de Maio de 2019 às 14:21

SERVIÇO: Raiz Nativa realiza projeto em reassentamentos rurais na capital

FOTO: (Divulgação)

Localizado na margem esquerda do rio Madeira, há aproximadamente 30 quilômetros de perímetro urbano de Porto Velho, o Reassentamento Riacho Azul e São Domingos, é uma localidade que reúne mais de 80 famílias, somadas a mais ou menos 45 famílias do entorno, que tiram seu sustento através da relação com o meio ambiente. Nesse local a ação de entidades públicas e do terceiro setor é fundamental para o sucesso da comunidade. 

 

O local onde foi criado o Reassentamento era uma área de fazenda, onde as terras estavam desmatadas e sem produção. Após um rápido diagnóstico com visitas in loco e reunião com moradores do local, percebeu-se a necessidade de desenvolver um reflorestamento sustentável com produção agroecológica.

 

Assim, A Organização Raiz Nativa, com apoio financeiro da Fundação Banco do Brasil – FBB, a partir de maio de 2018, vem desenvolvendo o projeto com práticas, sistemas e conceitos Agroecológico, que visa estabelecer um modelo sustentável de reflorestamento consorciado nas propriedades degradadas e nas matas ciliares. Com foco no Reflorestamento e, com apoio da comunidade local foi construído um viveiro com 1.200m2, com capacidade de receber 100.000 (cem mil) plantas. O projeto, também proporcionou estruturação por meio da aquisição de 01 (um) trator e implementos, que chegou para facilitar a vida dos moradores, no preparo de suas roças.

 

A espécie escolhida pelos moradores do Reassentamento, para produção de mudas foi o açaí BRS-Pará e Chumbinho, melhorados pela EMBRAPA, (o Açaí é uma palmeira que produz frutos que são utilizados na alimentação humana, faz parte da Agricultura familiar e é aceito no Código Florestal como espécie para reflorestamento de áreas degradadas e recuperação de matas ciliares). O processo de produção dessa planta é iniciado a partir do 3º ano do plantio definitivo no campo. Com bom preparo e correção do solo, a produção anual do açaí é dobrada, dobrando também a renda dos produtores.

 

O Projeto, além do benefício da construção do viveiro e estruturação, vem proporcionando a Assistência Técnica e Atendimento aos moradores, fazendo com que o produtor entendesse que a diversificação e a rotação de cultura em um terreno são de suma importância para preservação do solo, necessitando de menor quantidade de correção e adubação. Também com a Assistência Técnica, pode-se orientar sobre o reflorestamento com plantio consorciado e suas vantagens de produção e melhoria de renda. Também disseminou conhecimento através da realização de uma oficina de capacitação, onde 15 pessoas foram formadas e capacitadas como viveirista. Essa oficina trouxe grande conhecimento aos participantes, instigando o desejo de plantar, cultivar e participar dos programas do governo como PAA e Agricultura Familiar.

 

Segundo o Coordenador Geral da Raiz Nativa Elias Correa Alves e Equipe, “o resultado desse trabalho é motivo de orgulho para todos os envolvidos, que tem a certeza de estar colaborado para o crescimento de uma comunidade que ainda é recente e tem tudo para se tornar próspera e respeitando o meio ambiente”.

 

A Raiz Nativa segue com seu trabalho dentro das comunidades da margem esquerda do rio Madeira. Quem tiver duvidas ou queira mandar sugestões, ideias ou até mesmo ser um colaborador dos trabalhos desenvolvidos pela ONG, pode enviar e-mail para raiznativapvh@gmail.com

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS