close
logorovivo2

Melki e Rosani afrontam a justiça e insistem com candidatura nula em Vilhena

POR ALAN ALEX

8 de Maio de 2018 às 14:23

Olha essa

 

Uma adolescente se deixou filmar fazendo sexo oral em colegas de escola. O caso teve repercussão em todo o estado e vários sites, incluindo PAINEL POLÍTICO, publicaram a história, mas todos se atendo ao fato em si, e a relevância se dá para que sirva de alerta aos demais jovens que caem nessa esparrela achando que a vida não tem consequências. Nenhum site divulgou nome ou sequer as iniciais da jovem, mesmo assim, acompanhada da família, ela procurou a Defensoria Pública para entrar com uma ação por “danos morais”.

 

A tal “produtividade”

 

Qualquer pessoa com mínimo de bom senso sabe que tal ação não poderia prosperar, tendo em vista que não havia nada que identificasse os envolvidos, e o defensor público deveria ter alertado a família para tamanha insensatez que seria tal ação. Não fez, pelo contrário, deu prosseguimento. O juiz de primeiro grau, claro, determinou o arquivamento exatamente pela falta de materialidade, a defensoria recorreu. O Tribunal de Justiça de Rondônia, com toda sensatez que lhe é peculiar, indeferiu o recurso, determinando o arquivamento. Mas o grande problema é que todo esse trâmite poderia ter sido evitado, simplesmente se o defensor tivesse aconselhado a fazer o certo, mas é nesse ponto que entra a tal “produtividade”.

 

É preciso bom senso

 

O judiciário anda abarrotado de ações sem nenhuma fundamentação plausível. A pessoa processa para ver se cola. Por vezes o processo é feito pela má-fé de alguns advogados que insistem “que cabe uma ação”, por outras a própria defensoria pública, e assim a máquina vai ficando cada vez mais lenta. Processar é fácil e barato, tem que mudar isso.

 

Volta por cima

 

O deputado estadual Laerte Gomes é um político que vem conseguindo manter uma carreira equilibrada e bem sucedida. Passou um aperto com o Ministério Público quando foi prefeito de Alvorada do Oeste, mas conseguiu provar na justiça que era inocente. Elegeu-se deputado estadual, foi líder do governo Confúcio, que apesar de desastroso tinha acesso ao legislativo graças a Laerte que conduzia com firmeza as questões do executivo. E na semana passada foi eleito o deputado mais atuante pela Associação Comercial e Industrial de Presidente Médici. A homenagem, segundo o parlamentar, é a consolidação do trabalho que ele tem realizado em todas as áreas da administração do município em parceria com o prefeito Edilson Alencar (PSDB).

 

Casa Civil

 

Por diversas vezes Laerte Gomes foi cotado para assumir a Casa Civil do governo Confúcio, mas sempre declinou do convite. Sua atuação lhe cacifou inclusive para disputar a prefeitura de Ji-Paraná, a segunda maior cidade do Estado e nos últimos tempos circula a informação que ele é um dos favoritos para assumir a presidência da Assembleia a partir de 2019, se for reeleito.

 

Campanha limpa

 

Em Vilhena, Eduardo Japonês foi escolhido pelo PV para disputar a eleição suplementar que acontece no próximo dia 3. E ele já colocou os “podres” na mesa se antecipando ao jogo sujo comum em processos eleitorais. E ele declarou que pretende jogar limpo, vai focar na apresentação de propostas, ao invés de fazer ataques aos adversários.

 

Afrontando à justiça

 

Já Rosani Donadon (MDB) que deu causa a nulidade da eleição, insiste em ser candidata, como uma afronta à justiça. Mas a idéia de Melki Donadon, pessoa que de fato conduz a candidatura de Rosani, é tumultuar o processo o máximo que puder. Uma consulta feita ao Tribunal Superior Eleitoral em 2017, de um caso em Petrolina de Goiás, de número 1017, mostra que a questão é pacificada na Corte, ou seja, candidato que deu nulidade ao pleito não pode concorrer à eleição suplementar. Diz o seguinte: 1 – Aquele que houver dado causa à renovação do pleito eleitoral não poderá concorrer na eleição suplementar. 2 – A inabilitação para participar do pleito suplementar pode decorrer de cometimentos de ilícitos na eleição anulada ou por haver sido indeferido o registro de candidatura – por inelegibilidade ou por ausência de condição de elegibilidade, e – em razão disso nova eleição deve ser marcada. Quer que desenhe agora?

 

O que se vê

 

É um total desrespeito e escárnio com a justiça quando o MDB realiza uma convenção e insiste em lançar uma candidata que não pode ser eleita, confundindo o eleitor mais desavisado e desacreditando o judiciário, que fica desmoralizado com esse tipo de conduta. Só por essa graça o MDB deveria ficar proibido de lançar candidatura.

 

Pelo indeferimento

 

Os advogados Nelson Canedo e Nilton Schramm, que representam o candidato Eduardo Japonês, estão entrando com pedido de indeferimento do registro de candidatura de Rosani Donadon. Realmente, essas velhas práticas rasteiras da política precisam acabar. 

 

Parou geral

 

Os servidores da Caerd cruzaram os braços por tempo indeterminado. Eles estão há cinco meses sem salário. E não querem conversa com Daniel Pereira enquanto ele não exonerar a atual presidente, Iacira Azamor.

 

Mulheres que comem muito fast food podem ter mais dificuldades em engravidar, diz pesquisa

 

Mulheres que comem fast food com regularidade e deixam de lado o consumo de frutas têm maior probabilidade de desenvolver dificuldades para engravidar, segundo um estudo recém-publicado no periódico “Human Reproduction”. A conclusão é de que uma dieta nutritiva aumenta a capacidade reprodutiva. Uma pesquisa com 5.598 mulheres identificou que as que se alimentam de fast food quatro ou mais vezes por semana tendiam a demorar quase um mês a mais para engravidar do que as que comiam raramente ou nunca. É importante ressaltar, porém, que o estudo tem limitações: foi baseado na lembrança do que as mulheres entrevistadas (de Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e Irlanda) comeram antes de no mês anterior ao início de suas gestações dos primeiros filhos. Os pesquisadores descobriram que as mulheres que haviam comido fruta menos do que uma a três vezes em um mês levava, em média, um mês adicional para engravidar do que as que tinham o hábito de ingerir frutas três ou mais vezes por dia. Ao mesmo tempo, causou surpresa nos pesquisadores o fato de eles não encontrarem vínculos entre o tempo de engravidar e a ingestão de folhas verdes e peixe. Só foram identificados, portanto, os efeitos “protetores” das frutas: “Frutas e vegetais contêm uma variedade de antioxidantes e fitoquímicos que podem beneficiar a fertilidade”, diz a pesquisa. “Como apenas questionamos [as entrevistadas] a respeito de folhas verdes, e não de outros tipos de vegetais, não capturamos o consumo total de vegetais, potencialmente limitando [nosso conhecimento sobre] o impacto que eles podem ter na fertilidade.”

MAIS COLUNAS

Alan Alex

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS