close
logorovivo2

A revolução está chegando. E não tem nada de ficção científica

POR SÉRGIO PIRES

15 de Fevereiro de 2018 às 08:51

A revolução está chegando.  E não tem nada de ficção científica

FOTO: (DIVULGACÃO)

Abundam na internet vídeos que apontam para o fim de várias profissões, algumas já desaparecidas e outras em vias de extinção. Há um deles que lembra a quebra da Kodak, empresa que, em 1998, tinha 170 mil funcionários e vendia 85 por cento de todo o papel fotográfico consumido no mundo. Em pouco tempo, o tipo de negócio da Kodak se tornou coisa do passado e a empresa faliu. Nos próximos dez anos, a previsão é de dezenas de indústrias e serviços não terão mais como existir da forma atual, como a poderosíssima indústria automobilística e profissões como médicos e advogados, onde apenas uma extrema minoria de grandes especialistas sobreviverá. Os softers vão avançar de tal forma que tornarão inúmeros produtos e serviços totalmente antiquados, numa velocidade assustadora.

 

O mesmo acontecerá com a inteligência artificial, saúde, educação, veículos autônomos e elétricos, agricultura e empregos. Tudo será substituído pela facilidade dos softers, cada vez mais avançados, que modificarão praticamente toda a vida, como ela é hoje conhecida. Em muitos casos, antes de 2025, ou seja, daqui a menos de sete anos. Só pra lembrar, a Kodak era a maioria do mundo e sumiu em apenas três anos, engolida pelo smart fone e as fotos que abundam em todos os celulares do mundo, a custo zero. Um exemplo bem simples: o Uber não tem um só táxi, mas já é hoje a maior empresa de táxis do mundo. Já se fala que em uma década e meia, no máximo, o mercado não precisará mais de advogados, porque, segundo aplicativos e softers sobre o assunto, como, apenas como exemplo,  um só softer da IBM, dão aconselhamentos legais pela internet, com 90 por cento de exatidão, contra 70 por cento, quando dado por humanos. Nos Estados Unidos, advogados jovens já não estão conseguindo emprego. Começou...

 

O futuro muito próximo prevê o fim dos carros como os conhecemos. Serão elétricos e andarão sozinhos. Serão computadores sobre rodas. A carteira de habilitação será um documento para museu. Ninguém mais precisará dirigir. A previsão é que, com os softers que comandarão os veículos, acontecerão alguns milhões de acidentes a menos e pelo menos 1 milhão de vidas perdidas no trânsito, por ano, no mundo, serão poupadas. A previsão é de que em 2030, ou seja, daqui a apenas 12 anos, os computadores já serão mais inteligentes que os humanos. Ah, os catastrofistas do fim do mundo, que dizem que o Planeta morrerá de sede, estão ferrados. Os sistemas de dessalinização da água serão tão simples e baratos que haverá água em abundância para toda a Humanidade. De um lado é assustador, porque estamos no liminar de um novo mundo e muitos de nós sofreremos com todas as mudanças. De outro, viver neste Planeta se tornará muito melhor, mais saudável, mais tranquilo. Não é ficção científica. A mudança radical do mundo, via novas tecnologias, está batendo nas nossas portas!

 

OPÇÕES PARA SABER MAIS

 

Ainda sobre o mesmo tema: quem tiver curiosidade, pode pesquisar no Google ou no You Tube sobre vários vídeos abordando o tema. Alguns deles:https://www.youtube.com/watch?v=ybVP4K0Em0Q ; https://www.youtube.com/watch?v=u1H_ai9iIjw ; https://www.youtube.com/watch?v=yLbC5mUi26Q;https://www.youtube.com/watch?v=S54AoZEfPOA. Existem vários outros. No Facebook há outro vídeo, ainda mais completo, que você pode assistir acessando https://web.facebook.com/sergio.pires.96/videos/1556119834495686/. Ali há um resumo excepcional sobre informações que vão destroçar (palavras da narradora do vídeo) a maioria das atividades profissionais nas próximas duas décadas. Começando agora...

 

HORA DA DECISÃO AOS TUCANOS

 

Dias decisivos para a turma tucana. Um dos principais nomes do partido, Expedito Júnior, começa a definir seus rumos a partir de uma reunião que ocorrerá nos próximos dias, entre os membros da cúpula do partido. O PSDB está, senão dividido, ao menos com grupos com planos diferentes, em relação às eleições de outubro. A turma da deputada federal Mariana Carvalho; do irmão dela, o presidente da Câmara de Porto Velho, Maurício Carvalho e do pai de ambos, o ex vice governador Aparício Carvalho, estaria pensando para um lado e o grupo de Expedito, para o outro.

 

Não há rompimento nem questões irreconciliáveis, mas o clima não está envolto na euforia de um partido que está indo bem nas eleições e que, além da excelente votação de Mariana à Câmara Federal, ainda elegeu o prefeito da maior cidade do Estado, Hildon Chaves. Oficialmente, ninguém fala nada sobre o assunto, mas o que se sabe é que Expedito, caso queira partir para uma carreira solo, sem os tucanos, partido onde é um dos principais líderes há quase uma década, já tem convite de várias siglas. Uma  delas é o PSD, do seu filho, o também deputado federal Expedito Neto. Em breve se terá notícias do que foi decidido no ninho dos tucanos.

 

DANIEL RESPONDE E EMPOSSA

 

O vice-governador Daniel Pereira, leitor atento desta coluna, tão logo soube que há gente indo às secretarias para saber sobre contratos e outros detalhes, enviou mensagem, se posicionando sobre o assunto. Escreveu: “tenha certeza que a fonte que lhe deu essa informação está equivocada. Até porque todos os contratos públicos não são secretos”, afirmou, obviamente lembrando que são de fácil acesso a qualquer pessoa. “Qualquer cidadão tem direito a acessá-los!", destacou. Daniel disse que quem encontrar algo fora da normalidade ou tenha suspeita de qualquer irregularidade pode procurá-lo. “Se tiver algo errado, será corrigido imediatamente”, garantiu. E acrescentou: “podem ter certeza que estou estudando tudo sobre o Governo.

 

Caso confirme a renúncia do governador Confúcio Moura para a disputa ao Senado, é minha obrigação conhecer melhor a administração estadual, para ver como posso dar prosseguimento e, se possível, tentar melhorar onde puder”. Daniel, aliás, nesta quarta, prestigiou a posse Albertina Marongoni Bottega, a primeira mulher a presidir a Emater no Estado. Indicação dele, numa solenidade das mais concorridas.

 

 

POESIA GINASIANA

 

Todo o respeito merece a presidente do STF, a experiente e competente ministra presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Mas, convenhamos, desde que assumiu o comando da Corte, repetindo aliás o que têm feito outros ministros e outros ex presidentes, a ministra Carmem Lúcia anda falando mais do que deveria. E aparecendo mais na mídia do que deveria. Nos Estados Unidos, grande parte da população não conhece sequer os nomes da maioria dos membros da Suprema Corte. No Brasil, ao contrário, só falta eles saírem fantasiados em blocos de carnaval.

 

A última da dona Carmem Lúcia é uma pérola. Ela disse que “a superação da violência no país passa por uma mudança na forma de olhar uma pessoa desconhecida”. Para ela, “ao invés de se tratar o outro com desconfiança e como inimigo, é preciso considerá-lo como um irmão e aliado”. Ora, numa poesia essas frases ficariam ótimas. Mas para uma ministra de um Tribunal Superior, num país onde o crime organizado toma conta de cima abaixo, não parece algo pueril e ingênuo, quase um texto de redação de alguém que começa a escrever no Primeiro Grau? Não seria o caso de a ministra e seus ministros recolherem os flaps, falarem menos e decidir mais, guardando a Constituição?

 

APOIO AOS BOLIVIANOS

 

Relações amistosas se fazem sempre mais com ações do que com palavras. É assim que tem agido o empresário César Cassol, que tem iniciado uma série de contatos comerciais de negócios do grupo que comanda, com nossos vizinhos bolivianos, mas que se preocupa, igualmente, com as questões sociais. Recentemente, além de doar medicamentos para a Prefeitura de Costa Marques, ajudando a comunidade daquela área de fronteira, César foi também “ao lado de lá”, demonstrar sua amizade e respeito com inúmeras famílias da Bolívia.

 

Em San Joaquim, Província de Beni, fronteira com o Brasil, o empresário de Rolim de Moura, que hoje comercializa também calcário de excelente qualidade tanto no lado brasileiro quanto boliviano, entregou dezenas de medicamentos ao Hospital Dr. Henrique Beye. Ao ser recepcionado pela vice governadora de Beni, César destacou sua preocupação com a questão da saúde. “Fico feliz em contribuir não só com o povo de Costa Marques, mas também de Beni. Os problemas da saúde pública me sensibilizam muito”. Todos os medicamentos foram adquiridos por orientação de listas de produtos feitas por médicos da região. César Cassol, ao mesmo tempo em que expande seus negócios em toda a região, apoia iniciativas comunitárias e investe em ações de benemerência, tanto no lado brasileiro quanto no boliviano.

 

O AÇOUGUE DO CARNAVAL

 

Mesmo sendo menor que em anos passados, o número de  quase 340 atendimentos no João Paulo II,  neste carnaval é de assustar. Pior quando se sabe que do grande número de feridos, 43 foram atingidos em motos, quando transitavam pela Capital. É a tristeza de sempre. Motoqueiros despreparados e descuidados; motoristas que desrespeitam as motos; caroneiros andando sem segurança, como o caso de uma garotinha que caiu de uma moto e por milagre não foi atropelada por um carro que vinha muito perto. Ali, a perícia do motorista e a rapidez da ação, salvaram a vida de uma criança que andava com a mãe, numa moto, sem os cuidados necessários.

 

Pior de tudo: mesmo com todas as campanhas, com todos os pedidos, com todos os apelos, dezenas de motoristas e condutores de motos foram presos conduzindo seus veículos depois de ingerir bebida alcoolica. Só em Porto Velho, foram 70 presos. Em Guajará-Mirim, cerca de 25. Em todas as cidades do Estado onde houve blitz da Lei Seca, houve gente presa. O trânsito continua sendo um verdadeiro açougue, tirando vidas todos os dias.  No pais inteiro, são mais de 50 mil mortos por ano. E o carnaval continua sendo campeão em mortes.  Até quando vamos continuar lamentando tantas vidas perdidas em tão pouco tempo?

 

PERGUNTINHA

 

Agora que começou o ano de verdade, você lembrou que o 2018 tem Copa do Mundo e eleições para o Congresso, as Assembleias, Governos e até para Presidente da República?

MAIS COLUNAS

Sérgio Pires

Colaborador do Gentedeopinião: Sérgio Pires, experiente jornalista e que atua na SIC TV e diariamente apresenta o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM.

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS