close
logorovivo2

Outro viaduto será inaugurado dia 2. Rondônia é exceção no país das obras paradas

POR SÉRGIO PIRES

12 de Junho de 2018 às 09:56

Outro viaduto será inaugurado dia 2. Rondônia é exceção no país das obras paradas

FOTO: (DIVULGACÃO)

Para quem não acreditava (esse colunista se insere nesse grupo!) que o duplo viaduto  da BR 364, na altura da Campos Sales, seria um dia inaugurado, que se penitencie! Isso mesmo. Se não houver nenhuma surpresa inesperada, no próximo dia 2 de julho, uma segunda-feira, exatamente daqui a 21 dias, o ministro os transportes, Valter Casemiro, vai comandar a inauguração, ao lado do governador Daniel Pereira, do prefeito Hildon Chaves, da bancada federal e da Assembleia, de toda a estrutura do  viaduto, que, pasmem!, está em fase final. Graças às equipes do Dnit e das empresas contratadas para a realização do trabalho (um destaque especial para a Madecon, empresa local, que tem participação extremamente importante na obra), finalmente Porto Velho verá mais uma obra de vulto concluída. Já recebemos o viaduto  da Jatuanara; já recebemos  o  da Três e Meio: o do Trevo do Roque e agora, enfim, todo o complexo da BR 364 à Campo Sales, ligando a cidade com a região do bairro Eletrobras e com a do Hospital João Paulo II. Vão faltar, talvez, alguns pequenos detalhes, mas a passagem por cima e por baixo do viaduto duplo, a partir daquela data, estará liberada, segundo o engenheiro Emanuel Nery, do Dnit, um dos responsáveis pela celeridade e pela qualidade dos serviços.

 

O dinheiro para a conclusão das obras foi conseguido pela bancada federal, principalmente, na reta final, por emenda do deputado Lindomar Garçon. O senador Ivo Cassol e o deputado federal  Luiz Cláudio, também tiveram participação especial no andamento do projeto. Luiz Cláudio, que é do PR, mesmo partido do ministro, foi quem recebeu a informação do próprio Valter Casemiro de que ele virá pessoalmente entregar a obra em Porto Velho. Em breve também será concluída a Prudente de Moraes, que passará por baixo da BR e terá sentido único, do Areia Branca em direção ao centro da cidade, concluindo toda a estrutura do trânsito na região.

 

 

Pode parecer pouco ou alguma comemoração exagerada? Não é. Lembremo-nos que no final 2016, pelo menos cinco mil grandes obras estavam paralisadas no país, inclusive as nossas. De lá para cá as coisas melhoraram, mas há hoje, ao menos, embora os  números não sejam oficiais, pelo menos 3 mil obras no país sem perspectiva de serem concluídas. Rondônia tem sido exceção. Além de todo o conjunto de viadutos da Capital, recebemos inúmeros investimentos para construções no interior e teremos, em breve, a conclusão da ponte sobre o rio Madeira, acabando com a ligação do Acre por balsa, além da iluminação a ponte do bairro da Balsa. Não há como não se destacar, na busca desses recursos, o trabalho de toda a bancada federal. Que aliás, em conjunto, conseguiu, na semana passada, 150 milhões em máquinas e equipamentos para todas as Prefeituras do Estado. Ou seja, nossos parlamentares estão dando duro e trazendo resultados concretos para o Estado. Seria injustiça não reconhecer isso!

 

 

PR COM PRESTÍGIO EM ALTA

 

Três nomes que podem estar na disputa ao Governo do Estado, estiveram presentes ao encontro regional do PR, neste sábado, no Kabana´s, em Porto Velho. Um deles certamente já está confirmado na corrida ao Governo: o deputado Maurão de Carvalho, nome oficializado pelo MDB. Também participaram, como convidados, da mesma forma como Maurão, o ex senador Expedito Júnior, que pode ser o nome do PSDB na disputa e o atual governador, Daniel Pereira, também cotadíssimo para entrar na corrida eleitoral de outubro.  Ao prestigiarem a pré convenção do partido, as lideranças de outras siglas deram ao PR e ao próprio Luiz Cláudio, deputado federal, pré candidato à reeleição e que é o presidente regional da sigla, um prestígio bastante especial. Luiz Cláudio tem sido um nome de destaque na bancada federal. Ainda, como ex secretário da Agricultura, nos governos de Ivo Cassol, têm importante ligação também com o campo e com os produtores rurais.

 

POR QUE CASSOL NÃO FOI?

 

Houve uma curiosidade especial, no encontro do PR, ocorrido na Capital. O pré candidato que o partido apoia para o Governo, não esteve presente. O PR já definiu há muito tempo que seu nome para disputar o comando do Palácio Rio Madeira/CPA é o senador e ex governador Ivo Cassol. O PR só optará por outro nome, caso Cassol não possa ser candidato ao Governo. Se ele for confirmado, o que o comando do partido tem como certo, o PR estará totalmente fechado com o ex governador. O próprio Luiz Cláudio confirmou essa decisão, ao discursar no evento. Por que Cassol não foi, então, ao encontro do PR? O motivo é dos mais fortes: Cassol está afastado da vida pública, por uns dias, para tratamento de saúde. Deve ser submetido a uma rápida cirurgia nesta terça. O PP foi representado no encontro do PR por lideranças locais, como o deputado Aélcio da TV e a vereadora Cristiane Lopes.

 

EMOÇÃO NO BAIRRO HISTÓRICO

 

Começou a fase da pauta positiva na Prefeitura da Capital, depois de muitos problemas (alguns ainda longe de serem solucionados), com avanços importantes em algumas áreas. Na semana passada, o prefeito Hildon Chaves entregou títulos definitivos de propriedade para nada menos que 1.041 moradores do histórico bairro Areal, próximo ao centro de Porto Velho. Acompanhado da competente secretária Márcia Luna, sem dúvida uma das maiores especialistas em regularização fundiária do Estado e que Hildon fez questão de manter em sua equipe, vinda da administração anterior, o Prefeito viveu momentos de alegria e emoção. Tanto quanto as milhares de pessoas beneficiadas. Hildon lembrou que estava cumprindo uma promessa de campanha e só lamentou que a população do Areal tenha demorado tanto tempo para conseguir a documentação definitiva dos seus imóveis. Faltam ainda ‘130 lotes para concluir todo o processo no bairro, mas Márcia Luna lembrou que tudo está andando para que, rapidamente, todos esses moradores também sejam beneficiados. O projeto “Regularizar é Progresso” pretende entregar um número recorde de documentação de propriedades na atual administração. Ao coisas estão andando bem, nessa área.

 

DOIS MESES DE DANIEL

 

O governador Daniel Pereira tem uma longa pauta em São Paulo, nesta terça e quarta. Estará no Consulado da Itália, onde terá  encontro com o cônsul, além de participar, à noite, de um grande evento para divulgação da comida rondoniense. Numa entrevista à revista Exame, programada para ser realizada nesta quarta e que em breve estará nas páginas de uma das principais publicações da área econômica do país, Daniel vai falar também sobre as potencialidades do Estado, a expansão do agronegócio (em especial na qualidade da nossa carne, exportada hoje para mais de 40 países) e divulgar positivamente estas terras de Rondon, na mídia nacional. Recém completando dois meses à frente do Governo, Daniel Pereira tem se multiplicado em andanças por todo o Estado e em missões como a que realizará nesta semana. Isso, é claro, sem contar com toda a dedicação para governar um Estado pujante, que precisa de controle do chefe, para continuar nos trilhos. Vai indo bem, até agora!

 

A LISTA NÃO PÁRA DE CRESCER

 

Confúcio Moura (MDB), Valdir Raupp (MDB), Jesualdo Pires PSB), Fátima Cleide (PT), Aluízio Vidal (REDE), Bosco da Federal (Podemos), o advogado Caetano Neto (ainda sem partido), Miguel Monte (que se lançou pelo PP),  Manoel Nery (PC do B), Fabrício Jurado  (Partido Novo).  Aí estão apenas dez dos nomes que estão sendo postos para a disputa por duas cadeiras ao Senado, a que Rondônia terá direito, nessas eleições de outubro. Fala-se que pelo menos outra meia dúzia deve ser incluída nessa lista, vinda todas elas de partidos nanicos, das dúzias que estão aí e que querem marcar presença. Claro que quem conhece a política local, que certamente apenas os primeiros cinco, mais conhecidos e com histórias na política local, têm chances reais de chegar lá. Mas há quem aposte que muitos eleitores vão optar por nomes novos, seja o candidato quem for.  A verdade é que as duas vagas ficarão entre Confúcio, Raupp, Jesualdo, Fátima e com chance menor, por ter menos recursos, com o professor Aluízio Vidal, que é campeão de votos em Porto Velho, mas infelizmente para ele, pouco conhecido fora no restante do Estado. Será que, afora esses, pode surgir alguma surpresa? Difícil, claro, mas nunca impossível, porque na política – e ainda mais na política brasileira – o impossível não existe.

 

 

OS MEDOS DE FHC

 

O ex presidente Fernando Henrique Cardoso anda meio desesperado com a possibilidade de que seu partido, o PSDB, tenha a ojeriza do eleitor, em outubro e que o tucanato entre num processo de decadência. Ao menos é o que parece, em  declarações surpreendentes, algumas até tentando amedrontar o eleitor, sobre o possibilidade de que Jair Bolsonaro possa ser eleito (o que seria uma tragédia, na visão dele e dos que pensam como ele), mas também pelo temor de que o nome apoiado pelo partido jamais decole. Até agora, o ex governador de São Paulo, Geraldo Alkmin, não consegue subir nas pesquisas, perdendo fácil para Bolsonaro, para Marina Silva e para Ciro Gomes. De vez em quando empata com o petista Fernando Haddad, outro que só tem alguma chance pífia, quando seu nome é ligado diretamente ao ex presidente Lula, que não será candidato por estar punido na Lei da Ficha Limpa e por estar na cadeia. FHC agora quer porque quer que Alkmin tente convencer Marina Silva a ser sua vice. Marina já disse NÃO, com todas as letras, mas o ex Presidente insiste. Será que ele influencia alguma coisa ainda na política brasileira? Vamos saber em breve!

 

 

PERGUNTINHA

 

Ei, você: sabia que nesta quinta-feira, dia 14, começa a Copa do Mundo na Rússia e que há pesquisas dizendo que 65 por cento dos brasileiros não estão nem aí?

MAIS COLUNAS

Sérgio Pires

Colaborador do Gentedeopinião: Sérgio Pires, experiente jornalista e que atua na SIC TV e diariamente apresenta o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM.

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS