close
logorovivo2

Comunistas anônimos tentam manchar a Sagrada Toga dos Magistrados Brasileiros

POR SÉRGIO PIRES

16 de Julho de 2018 às 10:44

Comunistas anônimos tentam manchar a Sagrada Toga dos Magistrados Brasileiros

FOTO: (DIVULGACÃO)

“Quem somos? A Associação Juízes para a Democracia, é uma entidade não governamental, sem fins lucrativos ou corporativistas, fundada em 13 de maio de 1991, com sede na cidade de São Paulo”.  São 21 artigos do Estatuto de uma entidade que existe no Brasil, mas que é secreta, porque ninguém conhece seus membros; eles não assinam petições públicas ou manifestações e, incrivelmente, têm enorme espaço na mídia. Entre mais de 15 mil magistrados do país, eles são pouco mais de 70. Defendem o comunismo, as posições antidemocráticas, mas usam, como outros iguais a eles, a palavra Democracia como se a ditadura deles fosse a única opção para a sociedade. Representam menos de meio por cento da categoria dos Magistrados brasileiros, mas falam em nome dela, sempre anonimamente, conseguindo enormes espaços na mídia esquerdista, que domina as redações dos grandes jornais, emissoras de TV e Rádio do país, além de dezenas de sites e blogs a serviço dessas teorias. As mesmas, aliás, que estão destruindo países como a Venezuela. E que, em todo o Planeta, com raríssimas exceções, estão sendo expurgadas, porque jamais construíram. Apenas destruíram.  Quando se pronuncia, sempre sem assinatura de ninguém, essa entidade alienígena dos meios do Judiciário causa enorme constrangimento em toda a categoria que diz fazer parte. Juízes anônimos? Foi essa a única entidade nacional que divulgou apoio à decisão esdrúxula do Desembargador Rogério Favreto de soltar, em pleno domingo e na condição de plantonista, o ex Presidente Lula, condenado a 12 anos de prisão. O documento, apócrifo, mas em nome dessa entidade que não tem endereço, telefone, e-mail ou qualquer de seus membros identificados, deixou novamente  envergonhada toda a estrutura do Judiciário do país. E indefesa, porque não há como se defender contra o anonimato covarde.

 

 

No artigo 18 do seu Estatuto, a entidade dos juízes anônimos comunistas, diz que “o Presidente dessa Associação a  representará em Juízo e nos atos da vida civil, facultada a delegação de poderes a outro membro do Conselho de Administração”.  Até  hoje espera-se que tal autoridade se apresente, já que nenhum dos seus membros ou dirigentes se identificam. E não o fazem porque sabem das consequências. É um punhado de pessoas que levam sua ideologia para os tribunais e, certamente, para suas decisões nos autos. Se identificados, alguém poderia pedir a análise das decisões tomadas e, provavelmente, se constataria que muitas injustiças foram cometidas, em nome das ideias pessoais.  Felizmente, entre as dezenas de Magistrados de todos os níveis que atuam no Estado de Rondônia,  não há qualquer suspeita de que algum deles tenha envolvimento com essa excrescência. Por aqui, os juízes de todas as instâncias não aceitam que um grupelho de comunistas, travestidos com a sagrada toga, manchem e conspurquem a história do Judiciário. Ainda bem!

 

 

MAURÃO E CONFÚCIO 

 

Foi com sutileza, com palavras escolhidas, sem agressividade, como é do seu estilo, quase como um lamento, mas o presidente da Assembleia e candidato do MDB ao Governo, Maurão de Carvalho, deixou clara sua insatisfação com o fato de que o ex governador Confúcio Moura, agora candidato ao Senado, não esteja empenhado em apoiar o seu nome, há longo tempo, unanimidade nos meios peemedebistas. O desabafo foi feito em entrevista ao jornalista Arimar de Sá, quando o parlamentar e virtual nome do MDB ao Palácio Rio Madeira/CPA, falou sobre diversos assuntos. Perguntado dos motivos pelos quais Confúcio não o estaria apoiando, Maurão disse que não sabe, já que, ao contrário, sempre apoiou Confúcio em seu governo.  À certa altura, Maurão acabou fazendo um lamento: “Ele está com o nome à disposição do partido para disputar o Senado, mas ainda vai passar pelos convencionais. Eu sempre defendi o seu nome e o seu mandato como Governador e fui para o MDB a convite de Confúcio. Mas, infelizmente não conquistei o mesmo apoio da parte dele”! Maurão e seu grupo andam insatisfeitos, porque Confúcio não estaria dando ao candidato ao Governo do seu partido, o apoio que eles esperavam.

 

 

A SITUAÇÃO ESTÁ COMPLICANDO!    

Ainda no MDB, as conversas de que pode haver uma rasteira histórica no ex governador Confúcio Moura, são o grande assunto no momento. Fontes muito bem informadas, ligadas ao comando do partido no Estado, contaram à coluna que o partido pode lançar somente o nome de Valdir Raupp, na convenção que será agendada para o início de agosto. Confúcio,  se essas informações forem mesmo verdadeiras, teria que se contentar em disputar uma vaga à Câmara Federal, porque não teria outra saída. Os partidários do ex governador não acreditam nessa hipótese e a consideram uma burrice, segundo disse um deles à coluna, porque a  presença de Confúcio em dobradinha com Raupp, ajudaria o atual senador a conseguir uma reeleição que, segundo essa mesma fonte, não será nada fácil. A verdade é que por toda a Rondônia, os convencionais do MDB estão sendo procurados para uma conversa. O MDB garantiu que Confúcio poderia ser candidato ao Senado, se quisesse e o então Governador decidiu não trocar de partido, com essa garantia. Agora, não há mais tempo legal para mudança de sigla e ele terá que se submeter ao que a maioria do diretória decidir, na convenção. Tudo pode mudar, é claro. Mas hoje o quadro é esse!

 

 

CASSOL EXIGE MAGNO AO SENADO

Polêmico como sempre, sem deixar nada nas entrelinhas, o ex governador e senador Ivo Cassol anda pelo Estado, falando de política e do seu trabalho no Congresso, mas também mexendo fundo em temas que envolvem a eleição de outubro. Sua última decisão, certamente mexeu com as estruturas do Frentão de onze partidos que estava sendo formado para apoiar a candidatura de Expedito Júnior ao Governo. Ao falar para uma emissora de rádio do interior, dias atrás, ele disse que o Frentão só se manterá com o apoio dele, Cassol, caso reserve uma das vagas na corrida pelo Senado ao seu companheiro Carlos Magno. Cassol alega que a eleição de Magno significará também que as propostas e projetos que ele, o atual senador, deixará, serão abraçadas por seu amigo, companheiro de longos anos e vice governador em seu último mandato no comando do Estado. Cassol atacou também duramente o ex governador Confúcio Moura e sobrou igualmente para seu grande adversário de longos anos, o senador Acir Gurgacz. Agora, o grupo do Frentão, que estava conversando sobre o lançamento de dois nomes para a corrida senatorial (o deputado federal Marcos Rogério, do DEM e o Pastor Edésio Fernandes, do PRB), terá que mudar seus planos, caso queira ter o apoio de Cassol e sua turma. As coisas na política rondoniense começam a passar do quente. Já estão quase fervendo!

 

DANIEL OFICIALIZA APOIO A GURGACZ

Na sexta, uma reunião entre o governador Daniel Pereira,  o senador Acir Gurgacz e o presidente regional do PSB, Mauro Nazif, definiu que os socialistas se unirão ao PDT no lançamento da candidatura de Gurgacz ao Governo. Também participaram do encontro os deputados estaduais Cleiton Roque (PSB) e Airton Gurgacz (PDT). Uma convenção conjunta foi agendada para o dia 29 deste mês. Além de oficializar o nome ao Governo, o encontro servirá também para confirmar Jesualdo Pires ao Senado.  Com quem os dois partidos negociarão para a segunda vaga? Pelo que se sabe, há um acordo, que teria sido firmado pelo próprio Daniel Pereira, de que o outro candidato do grupo, ao Senado, seria o de Confúcio Moura, mesmo que informalmente. Ou seja, os membros do partido pediriam o segundo voto para o ex governador. Agora, com o imbróglio que se criou em torno do nome de Confúcio, no MDB, não se sabe como as coisas vão andar. Gurgacz não tem qualquer dúvida de que sua candidatura terá o aval da Justiça Eleitoral e  anda bastante otimista com sua pré campanha. Daniel, portanto, nesse caso, está mesmo fora da sucessão.

 

MARIANA E SEU VOTO DE SILENCIO

Nessa história toda da sucessão, da disputa por espaços, da troca de farpas e até de elogios, nota-se uma ausência importante: a da deputada federal Mariana Carvalho, presidente regional do PSDB, que mantém uma distância do processo eleitoral, como se tivesse feito voto de silêncio, igual a algumas freiras que se trancam em conventos, longe do mundo externo e sem abrir a boca. Mariana teve 60.324 votos na eleição de 2014 é um dos nomes mais fortes dos tucanos para buscar a reeleição ou até para sonhar mais alto. Se Expedito Júnior não fosse o nome do partido ao Governo, seria ela a indicada?  A deputada, contudo, mesmo sendo um destaque nacional no Congresso  e um nome que hoje passou das fronteiras do Estado, até agora manteve-se silente em todo o processo. A única coisa que se sabe concretamente é que ela vai quer mesmo é disputar a reeleição. Ela e Expedito andaram distantes, mas teriam se reaproximado, embora nem isso se saiba com certeza, pela forma extremamente discreta com que Mariana, uma das principais lideranças políticas do Estado (fez 7,5 por cento dos votos válidos para a Câmara e isso não é pouco!), está agindo. Não se sabe até quando ela manterá a mesma forma de atuação política. Provavelmente só se saberá dos seus planos na convenção do partido, no início de agosto. 

 

O TRÁFICO RONDA AS ESCOLAS

Ao lado da Escola Capitão Cláudio, no bairro Cidade Nova, zona sul, havia uma casa do tráfico há muito tempo. O traficante, conhecido como Leleco, era muito conhecido na área. Fornecia maconha, cocaína e outras drogas ali mesmo, na região, inclusive para muitos estudantes. Só agora a polícia descobriu o foco das drogas e prendeu o criminoso. Na  casa dele, havia até um sofisticado sistema de câmeras de vigilância. Muitos meses depois, Leleco, enfim, foi preso. Os traficantes rondam as escolas de Rondônia e, na maioria dos casos, sem serem perturbados. Próximo às principais faculdades, à noite, os bandidos agem como se seu comércio não fosse letal para os clientes, mas apenas um sistema a mais de vendas de algum produto necessário, como as tendas de comida e os trailers de cachorro quente. Não há policiamento, a inteligência da PM e da polícia civil não aparece. Basta colocar alguns agentes próximos às escolas e principalmente próximo às faculdades, para fazer uma série de prisões de traficantes. Eles agem normalmente, como se simples vendedores fossem. O tráfico cresce e se espalha. Mas também por falta de ação das autoridades competentes, que não o combate com a devida força. Pronto. Falei!

 

PERGUNTINHAS

Franceses ou croatas? Para quem você está torcendo na decisão da Copa do Mundo na Rússia? Ou, desde que o Brasil foi defenestrado, você quer mesmo é não ouvir mais nem falar no assunto?

 

MAIS COLUNAS

Sérgio Pires

Colaborador do Gentedeopinião: Sérgio Pires, experiente jornalista e que atua na SIC TV e diariamente apresenta o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM.

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS