close
logorovivo2

IBOPE: Expedito sai na frente na corrida pelo governo com 30 por cento, mais que a soma de Acir e Maurão

POR SÉRGIO PIRES

23 de Agosto de 2018 às 09:25

IBOPE: Expedito sai na frente na corrida pelo governo com 30 por cento, mais que a soma de Acir e Maurão

FOTO: (DIVULGACÃO)

Para quem acompanha a política rondoniense mais de perto, não foram surpreendentes os primeiros números do Ibope para a disputa ao Governo. Expedito Júnior sai na frente com 30 pontos percentuais, mais que a soma dos seus dois principais concorrentes, Acir Gurgacz, que tem 15 por cento das intenções de voto e Maurão de Carvalho, que tem 10. Como a campanha ainda não ganhou às ruas, Expedito, que já disputou o governo na eleição passada e que já foi senador e deputado federal, é o nome ainda mais forte, nesse momento, entre o eleitorado rondoniense. Seus dois maiores adversários consideram que ainda podem crescer muito e torcem para que Expedito tenha chegado ao seu limite. Será que esse raciocínio tem alguma ligação com a realidade? Veremos em breve, quando o 7 de outubro chegar. Surpresa mesmo foi a quarta colocação. Pimenta de Rondônia, do PSOL e o coronel Marcos Rocha do PSL de Jair Bolsonaro, ocupam o posto. E o coronel Charlon, do pequeno PRTB, ficou em sexto lugar, com 3 por cento das intenções de voto. As apostas eram de que o jovem Vinicius Miguel, da Rede, que ficou na sétima posição, com apenas 2 por cento na pesquisa, estaria muito melhor colocado. Nas duas últimas colocações, como se esperava, ficaram dois nanicos: Pedro Nazareno, do PSTU e o Comendador Queiroz, do PMB, o Partido da Mulher Brasileira.

 

Os resultados foram divulgados em primeira mão pela RV Rondônia, afiliada da Globo, contratante das pesquisas em nível nacional. O Ibope ouviu 812 eleitores e a margem de erro é de 3 pontos percentuais para cima ou para baixo. O que ficou muito claro, ao menos nessa primeira avaliação, é de que há, mesmo, apenas três concorrentes com chances reais de ganhar a eleição. E ainda há a questão de Acir Gurgacz, que está numa grande luta para que seu nome seja liberado pela Justiça Eleitoral para concorrer. Expedito Junior, experiente e com muitas lições aprendidas, corrigindo erros e pensando no futuro, sai com uma vantagem que o anima, motiva  sua coligação e seus eleitores. Mas que não se subestime seus adversários. Tanto Acir Gurgacz quanto Maurão têm potencialidades e solidez política para continuarem na batalha, com chances reais de chegar lá. Para os demais concorrentes, fora do trio, resta pouca esperança. Os outros seis concorrentes vão usar apenas a máxima do esporte: o importante é participar!

 

 

 

WALTENBERG ASSUME O GOVERNO

 

Rondônia acorda nesta quinta sob novo governo. Isso mesmo! Por pelo menos dois dias – nesta quinta e na sexta -  teremos novo Governador. Como o governador Daniel Pereira viaja à Bolívia, para cumprir uma extensa programação oficial e o presidente da Assembleia, deputado Maurão de Carvalho, não pode assumir, porque é candidato ao Governo, o cargo fica 48 horas nas mãos do presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Walter Walterberg Júnior. Um dos mais respeitados magistrados de Rondônia, com uma rica história de contribuição ao Judiciário rondoniense, Waltenberg vive, por dois dias, o outro lado do poder. Ele preferiu não governar, nesse curto período, do  Palácio Rio Madeira/CPA e despachará de seu gabinete, na sede do TJ. Na quinta e sexta, Daniel Pereira viaja sabendo também de resultado de outra pesquisa do Ibope que avaliou seu governo. Teve 19 por cento de bom ou ótimo; 37 por cento de regular; 30 por cento de ruim ou péssimo e 15 por cento de rondonienses que não souberam ou não quiseram responder. Com 56 por cento de  ótimo, bom ou regular, Daniel tem uma avaliação positiva. Ele vai participar de vários encontros na Bolívia, dando andamento a uma série de negociações que ele mesmo começou, quando ainda vice governador de Confúcio Moura.

 

 

COLIGAÇÃO DE ACIR TEM 15 PARA A CÂMARA

 

A corrida pela Câmara Federal, nesta eleição, será sem dúvida das mais acirradas. Não só os parlamentares que querem a reeleição, como muitos entre os que buscam um primeiro mandato, formam uma nominata daquelas que se pode chamar de muito quente. Na coligação do PDT/PSB/PP/.PR e outros pequenos partidos, liderada pelo candidato ao governo, o senador Acir Gurgacz, nada menos do que 15 pretendentes se apresentam ao eleitorado rondoniense. Há quem sonhe, no grupo, em eleger quatro deputados federais. Um terço dos nomes (cinco), são mulheres. A relação da coligação que tem o PDT à frente, registrou os seguintes candidatos, junto à Justiça Eleitoral: Silvia Cristina (PDT), Cristiane Lopes (PP), Maria Simões (PR), Jaqueline Cassol (PP), Silvane Lima (PSDC), Melki Donadon (PDT), Indiano Pedroso (PDT), Mão de Cacoal (PDT), Mauro Nazif (PSB), Tiziu Jidalias (Solidariedade), Nilton Capixaba (PTB), Luiz Cláudio da Agricultura (PR), Padre Ton (PT), Paulinho do Cinema (PP) e Jota Júnior (PTC).  Num primeiro momento, ouve-se que três destes concorrentes poderão ter problemas, em razão da Lei da Ficha Limpa: Melki Donadon, Nilton Capixaba e Padre Ton, um trio de puxadores de votos. Todos têm condenação de segundo grau, embora estejam recorrendo. A decisão final sobre se os registros serão ou não autorizados pelo TRE, será até o próximo 6 de setembro. Se os três entrarem na briga, a coligação vem fortíssima. Se não entrarem, as chances diminuem bastante.

 

 

PDT QUER FÁTIMA FORA DO PÁREO

 

Por falar na coligação liderada por Gurgacz, seus advogados entraram com recurso no TRE, pedindo a anulação das candidaturas de Fátima Cleide ao Senado e à união do PT com o PSOL, solicitando também que a candidatura de Pimenta de Rondônia, com o petista Paulo Benito, seja também barrada e considerada ilegal. Na petição, os advogados alegam que a intervenção do diretório nacional, mudando uma decisão democrática do diretório estadual, que autorizava a aliança com os pedetistas e seus parceiros, foi totalmente ilegal e irregular. Segundo a denuncia ao TRE, o diretório nacional “sem qualquer amparo legal ou estatutário”, determinou a formação de um bloco apenas com o  PSOL e o PC do B, “unicamente para garantir a vaga ao senado à senhora Fátima Cleide”. A petição ainda aproveita para dar uma ironizada na candidatura de Fátima, alegando que o regional não queria que ela concorresse ao Senado, “em razão de não ser detentora de densidade eleitoral suficiente para lançar-se na disputa”. Traduzindo para o Português, os advogados dizem que Fátima é ruim de voto. O caso afora entra no rol as dezenas de contestações, tentativas de impugnações e outros obstáculos para a oficialização de candidaturas. O TRE deve decidir sobre o assunto em alguns dias.

 

 

PORTOAGRO TERÁ 1 BI EM FINANCIAMENTOS

 

Porto Velho vai sediar uma grande feira de negócios agropecuários, no final deste mês e até 1º de setembro, numa área enorme, localizada ao lado da Embrapa e do Ministério da Agricultura, na BR 364, em direção a Candeias do Jamari. Para se ter ideia do que a Portoagro pretende, pode-se afirmar que ela tem uma meta de mais de 100 milhões em negócios, a ser atingida em apenas quatro dias de duração do evento, que começa no próximo dia 29, na quarta-feira da semana que vem. Os produtores que quiserem adquirir máquinas, equipamentos e implementos agrícolas, terão linhas de crédito de mais de 1 bilhão de reais, dinheiro que será liberado pelo Banco do Brasil, Caixa Federal, Banco da Amazônia e Sicoob, parceiros do evento. Para ter acesso ao crédito, basta o produtor ter declaração de aptidão que é emitida pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). Os créditos são liberados com juros de 2,5 por cento a 4,6 por cento ao ano. O Pronaf Floresta, que era de 30 mil reais, passou para 60 mil, com juros de 2,5 ao ano. O produtor não necessita de avalista nem de garantias para contratar o crédito.

 

 

FHC E LULA NA FOGUEIRA DAS VAIDADES

 

Nada a ver com o país. Tudo a ver com a vaidade. Finalmente, depois de dizer e escrever algumas asneiras em defesa do “cumpanhero” Lula, de longa data, o ex presidente Fernando Henrique Cardoso decidiu voltar à razão. Em artigo publicado no jornal esquerdista Financial Times, de Londres, FHC contestou afirmações feitas no mesmo veículo de imprensa, em outro texto, dessa vez escrito por Lula, em que o presidiário diz que “há um golpe de direita em andamento no Brasil”, porque ele, Lula, estaria sendo impedido, ilegalmente, segundo afirma, de concorrer à Presidência da República. Recentemente, num dos seus arroubos de intelectual de esquerda, o próprio FHC dizia temer pelo avanço da direita no Brasil, sem citar o nome do líder das pesquisas (sem Lula), o capitão  Jair Bolsonaro.  Em determinado trecho do seu artigo no Financial, o ex Presidente tucano ironizou: “"é uma versão peculiar das últimas décadas da história do Brasil, na qual ele (Lula) às vezes aparece como o salvador do povo e, às vezes, como vítima de uma conspiração da elite". Há outra verdade por trás disso. FHC magoou porque Lula escreveu que o Brasil não tinha rumo até 2003, quando ele, o rei petista, assumiu a Presidência. Ora, FHC teve dois mandatos antes de Lula. Daí, quando mexeu com o orgulho dele, o ex amigão do petista respondeu à altura. Acima de tudo, não os interesses nacionais, mas as vaidades pessoais....

 

 

OS BANDIDOS CONTINUAM VENCENDO

 

O pilantra de 17 anos nunca vai ser punido com a pena à altura do crime que cometeu. Ele, vagabundo, querendo, à força, o que nunca lutou para conseguir, matou uma menina trabalhadora, que batalhava todos os dias para ter uma vida menos difícil. Ela e sua família tiveram a pior das punições. Por causa de um celular, que o bandido “dimenor” quis tirar à força da garota trabalhadora, ele a matou friamente, com um tiro no peito. Tirou uma vida útil à sua família e sociedade. Trocou-a por uma vida inútil, porque, sabendo que é inimputável, pode assassinar uma pessoa, porque em breve, em três anos, na pior das hipóteses, estará nas ruas de novo, livre, leve e solto, como se nada tivesse acontecido.  É esse o país em que um Congresso fajuto, inoperante, que aceita qualquer imposição, mesmo que absurda, mesmo que vá contra a maioria do povo brasileiro, vítima do crime e da violência,  lava as mãos e permite que os direitos dos bandidos se sobreponha aos direitos à vida das milhares e milhares de vitimas do crime. A morte impune da menina de Rondônia se repete em todas as cidades brasileiras. Não é por acaso que o discurso virulento de um candidato como Jair Bolsonaro está soando como esperança de combate verdadeiro à bandidagem, nos ouvidos de milhões de brasileiros, que não esperam mais nada de autoridades que discursam para defender quem mata e não quem morre...

 

 

PERGUNTINHA

 

Você acha correto ou um abuso contra a informação correta ao eleitor, o fato das pesquisas insistirem em colocar o nome do ex Presidente Lula como candidato, quando é 200 por cento certo de que ele, preso e condenado, não terá aval da Justiça Eleitoral para disputar a eleição?

 

MAIS COLUNAS

Sérgio Pires

Colaborador do Gentedeopinião: Sérgio Pires, experiente jornalista e que atua na SIC TV e diariamente apresenta o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM.

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS