close
logorovivo2

STF sela destino de senador

POR VALDEMIR CALDAS

21 de Junho de 2018 às 08:54

 

 (*) Valdemir Caldas

 

 

 

Se existia alguma possibilidade de o senador Ivo Cassol disputar o governo de Rondônia, detonou-a o Supremo Tribunal Federal (STF), ao condená-lo a pena de quatro anos em regime aberto, mais o pagamento de multa, em um processo que se arrastou por sete anos.

 

Em nota à imprensa, o senador rondoniense refutou a decisão do STF, como seria óbvio, sustentando que não praticou nada de errado no período em que foi prefeito de Rolim de Moura, acrescentando “que vai cumprir a pena de cabeça erguida”.

 

Com o ex-governador fora do páreo, abriu-se um mar de perspectivas para termos uma mulher ocupando o palácio Getúlio Vargas, uma vez que, em recente pesquisa de intenção de voto, realizada pelo Instituto IPHEC, a deputada federal Mariana Carvalho apareceu em segundo lugar, com 14%, atrás de Cassol, com 41,3%.

 

O senador Acir Gurgacz, o governador Daniel Pereira, e o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Maurão de Carvalho, aparecem praticamente empatados, com menos de dez pontos porcentuais.

 

Qual dos protagonistas acima seria o fiel da balança para peitar a Mariana? Com certeza, aquele que conseguir atrair os eleitores do senador Cassol, que, a pesar de tudo, continua sendo um importante cabo eleitoral. Não menos importante é a escolha do vice. É preciso ter prudência na escolha do companheiro ou companheira de chapa, para não ser atropelado no percurso. Não precisa ser um – digamos - notável, mas alguém que seja palatável, não por uma ou outra classe social, mas por muitos segmentos da população. 

 

Alguém já disse que o tempo é o senhor da razão. Reflexões são apenas reflexões. O STF, como já se sabe, selou o destino do senador e ex-governador de Rondônia, Ivo Cassol, caberá ao eleitor à tarefa de decidir quem será o novo ou a nova dirigente estadual, a partir de janeiro de 2019.

 

Até a computação final dos votos, muita água correrá debaixo da ponte. Não se tem dúvida de que a situação da deputada Mariana Carvalho, hoje, é confortável, como sinaliza a pesquisa do IPHEC, mas nada de contar vitória antes do final do jogo, para evitar possível sentimento de frustração depois.

 

 

MAIS COLUNAS

Valdemir Caldas

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS