close
logorovivo2

Fim de campanha

POR VALDEMIR CALDAS

24 de Setembro de 2018 às 16:21

A campanha eleitoral vai entrando em sua fase final. Evidentemente que se acirram os ânimos, especialmente quando os contendores percebem as mudanças operadas no decorrer das caminhadas, reuniões e dos programas eleitorais.

 

É sempre assim. A euforia inicial sempre vai sendo substituída por certa insegurança, à medida que avança a mobilização do eleitorado. O que antes parecia favas contadas, vitória certa, indiscutível, já deixa grande margem de dúvida.

 

Não poderia ser diferente, dadas às características que qualquer embate em que valores pessoais e preferências nem sempre explicáveis à luz da lógica acontecem.

 

Inegável, portanto, a importância das eleições como expressão mais alta da vontade de um povo. Porém, só elas não são suficientes para caracterizar como democrática determinada sociedade. Sem elas, contudo, impossível sequer falar em democracia.

 

Por isso, o eleitor precisa saber o que vai fazer com o seu voto no próximo dia sete de outubro. Como sugestão, recomendo que cada um acompanhe o desempenho dos postulantes, para obter informação que lhe ajude discernir entre aqueles que evidenciam real compromisso com padrões aceitáveis e exercício político, contrapondo-os aos que apenas buscam servir da política como instrumento à satisfação de privilégios pessoais e de grupos.

 

Há, também, os que buscam um mandato para permanecerem longe das garras da Justiça. Ao contrário dos que pensam alguns políticos, o eleitor não é burro. Por mais que se tente desmentir o amadurecimento do eleitorado brasileiro, há fatos indesmentíveis. Basta ver que cada eleição oferece alto índice de renovação nas casas legislativas, evidenciando que, pouco a pouco, o engodo e a mistificação obtêm menos resultados.

 

Nos dias que nos separam das eleições, muita tolice, muita promessa e muito desespero ainda serão testemunhados. Importa destacar, porém, que administração alguma, casa legislativa nenhuma será igual ao que eram antes, porque agora a sociedade sabe como se mobilizar e exigir o respeito que é próprio dos cidadãos. Quando os candidatos não são os primeiros a dar o exemplo, acabam por ser exemplados pelos eleitores. Vamos aguardar os resultados das urnas eletrônicas.

 

MAIS COLUNAS

Valdemir Caldas

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS