close

ESPAÇO ABERTO: Porto Velho corre risco de ficar sem coleta de lixo

Confira a coluna

RONDONIAOVIVO

9 de Janeiro de 2019 às 08:59

ESPAÇO ABERTO: Porto Velho corre risco de ficar sem coleta de lixo

FOTO: (Rondoniaovivo)

CLIMA RUIM

 

Alguns integrantes de segmentos culturais de Porto Velho já estavam articulando um movimento para “derrubar” o Presidente da Fundação Cultural (Funcultural), Ocampo Fernandes, por conta da decisão do prefeito de não repassar verba para o carnaval na Capital. O problema é que a decisão do prefeito pegou até Ocampo de surpresa pois o mesmo garantiu que estava tentando articular a liberação dos recursos junto ao prefeito. Vem mais coisa quente por aí nesse assunto.

 

 

DEMISSÃO

 

Segundo a Corregedoria da PM, o cabo que se envolveu em uma briga em um bar da zona Leste de Porto Velho pode ser expulso da corporação. O policial, de 39 anos, é suspeito de ter matado duas pessoas e ferido outras quatro. De acordo com o Corregedor, coronel Alexandre Almeida, o PM recebeu voz de prisão e vai responder processo administrativo. Se as investigações comprovarem que o policial agiu de maneira contrária ao dever ele será expulso.  

 

 

ANO GORDO

 

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Velho também fez um balanço das vendas que confirma o resultado positivo em 2018. Segundo a presidente da CDL, Joana Joanora das Neves, a movimentação foi superior à 2017.

 

Para Joana, a boa performance do comércio tanto na capital de Rondônia como em todo o Brasil reflete o clima de otimismo quanto aos rumos do país e a expectativa da retomada do crescimento da economia nacional.

 

Assim como em Porto Velho, ela também acredita que o bom desempenho tenha ocorrido no restante do Estado com o pagamento antecipado do 13º, e do salário de dezembro dos servidores públicos estaduais, que sempre repercutem positivamente no aumento das vendas de final de ano.

 

A presidente diz ainda que, em 2018, as vendas consideradas mais seguras na temporada foram as com cartão de crédito. “De uma forma geral, foi um Natal bom para os lojistas. Começamos 2019 com o pé direito”, resume.

 

 

AJUSTES

 

Hoje, o Conselho Superior da Polícia Civil (Consupol) se reúne na Capital para definir como que as delegacias poderão se encaixar no sistema Mobyl implantado pela Polícia Militar em 2018. A iniciativa, apesar de positiva, foi bastante criticada pela Cívil já que ninguém nas delegacias conhecia o mobyle e muito menos sabia como inserir os dados no sistema. A reunião vai ter a participação da Sesdec e da Promotoria de Segurança Pública. Delegado Samir Abboud, Chefe de Polícia, disse que até o fim dessa semana tudo já estará funcionado em perfeitas condições.

 

 

SEM TRABALHO

 

Moradores da Vila Princesa, na capital, bloquearam o acesso de caminhões ao lixão nesta terça-feira (08) pela manhã. As famílias reclamam que a prefeitura não estaria cumprindo com a promessa de doar um kit de segurança para todos os 360 cadastrados a trabalhar no local. O acesso ao lixão para manuseio de resíduos foi proibido pela justiça há um mês após a polícia ter encontrado crianças e adolescentes trabalhando no lixão. As famílias dizem que o lixão é a única fonte de renda que tu tens. A prefeitura informou que o fornecimento do material é de responsabilidade da Cooperativa dos Catadores e de uma empresa terceirizada que descarrega no local. Os manifestantes avisaram que se até sexta-feira (11) o problema não for resolvido eles não vão permitir a entrada dos caminhões por tempo indeterminado.

 

 

O QUE ESTAVA RUIM FICOU PIOR

 

O Conselho Tutelar de Jaci –Paraná, que atende 09 distritos na região de Jaci-Paraná, ficou pior do que estava quando foi divulgada nota na coluna, em 28 de novembro,   mostrando as dificuldades do local. Na sede, em Jaci-Paraná, o Conselho não tem nenhum servidor para fazer a limpeza, não há internet para atender as demandas em tempo real e a única central de ar existente continua estragada.Os conselheiros de Jaci afirmam que o calor no local é insuportável e que os funcionários teriam levado ventiladores de casa para amenizar a situação. O problema é que muita gente que procura o Conselho para atendimento reclama do calor infernal e pede para ser atendido na rua. Na época, o secretário da SEMASF (Secretaria Municipal de Assistência a Família), Claudi Rocha, informou para a coluna que seria feito um chamamento público para aluguel de um imóvel em Jaci onde o Conselho possa ser instalado, sobre a central de ar o secretário disse que em 10 dias duas centrais de ar seriam instaladas no local.

 

 

 

 

 

RESPOSTA SECRETÁRIO

 

O secretário da SEMASF disse que a instalação das centrais de ar não foi possível porque a rede de fios de energia da casa, que é alugada, não suporta a capacidade dos equipamentos. Se o Conselho permanecer no local terá que ser feita licitação para trocar os fios de todo o imóvel. Sobre a locação de outro imóvel para instalação do Conselho, o secretário informou que foi feito chamamento público, mas ninguém apareceu. Sobre a contratação de servidor para limpeza, o secretário disse que não há previsão para concurso no momento e que a prefeitura também não tem dinheiro para custear um funcionário para o Conselho. Resumindo: Nada foi feito e nem deverá ser realizado em um curto espaço de tempo.

 

 

Mande suas sugestões de pauta, fotos, denúncias ou reclamações para espacoaberto@rondoniaovivo.com

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS