close

PAUTA NA CÂMARA: Prefeitura quer novo empréstimo de R$ 36 milhões para transporte rural

Segundo o Professor Aleks Palitot, algo que deverá ser analisado com muita cautela e zelo pelos vereadores

ASSESSORIA

31 de Outubro de 2019 às 14:17

PAUTA NA CÂMARA: Prefeitura quer novo empréstimo de R$ 36 milhões para transporte rural

FOTO: (Divulgação)

A pauta enviada pelo Executivo para a Casa de Leis Municipal foi discutida na manhã desta terça-feira (29), pela Comissão de Educação e Comissão de Transporte da Câmara. Trata-se do empréstimo via BNDES de mais R$ 36 milhões, que, segundo a atual gestão será aplicada na aquisição de ônibus para o transporte escolar rural. Segundo o Professor Aleks Palitot, algo que deverá ser analisado com muita cautela e zelo pelos vereadores.

 

“Há vários pontos que devem ser observados antes de permitirmos o empréstimo desta magnitude e para este fim. O Juros, o número de parcelas, se há veículos à pronta entrega e principalmente como a prefeitura pretende operacionalizar. É preciso criar uma estrutura para cuidar dessa frota e esse serviço será terceirizado”, questiona Palitot.

 

Presente a reunião o vereador Da Silva (Comissão de Transporte), falou que o problema dos contratos está nas métricas utilizadas para Cobrança dos quilômetros percorridos. “Se fosse acertado em um Valor de R$ 20 mil/mês por veículo já teríamos resolvido esta questão”, afirma o edil, que ressaltou que este é um valor justo para o serviço.

 

 

A presidente da Comissão de Educação, Vereadora Joelna Holder, afirmou que é um avanço o Executivo apresentar uma proposta de solução para o caso que vem se arrastando há anos. Para ela, “não basta somente criticar e apontar falhas, é necessário que se apresente soluções”, frisa a vereadora.

 

Para o Professor Aleks Palitot, “o que não se pode permitir é que a população saia mais uma vez prejudicada pelo atraso e pela falta de gerência na educação.  Os alunos tem direito de frequentar a escola e isso é uma responsabilidade do município, estando inclusive, previsto em seus direitos constitucionais básicos, o que não é respeitado há muito tempo e é necessário corrigir esta situação”, finalizou.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS