close

​Neymar decide, mantém escrita contra o México e carrega Brasil às quartas

Rival segue sem marcar em cinco encontros de Copa com a seleção brasileira, que encara a Bélgica nas quartas. Camisa 10 é decisivo ao marcar um gol e participar diretamente de outro.

GE

2 de Julho de 2018 às 17:32

​Neymar decide, mantém escrita contra o México e carrega Brasil às quartas

FOTO: (Divulgação)

 

RESUMÃO

Neymar comemorou seu gol, o que abriu o caminho da vitória por 2 a 0 sobre o México e da classificação para as quartas de final da Copa do Mundo, nos ombros de Paulinho. Foi quase uma retribuição simbólica do volante (e de todo o time) por ter visto seu grande jogador resolver nesta segunda-feira um confronto muito difícil no forte calor de Samara. Depois, ele ainda participou de forma decisiva para que Roberto Firmino, quase nos acréscimos, fechasse a conta. Diferentemente do português Cristiano Ronaldo e do argentino Lionel Messi, o brasileiro foi decisivo nas oitavas de final e segue adiante.

 

PRIMEIRO TEMPO

Num duelo parelho, o México rondou mais a área brasileira, mas, chance por chance, as do Brasil foram até melhores - uma vitória parcial, porém, talvez não traduzisse fielmente a primeira etapa. A equipe de Tite não foi bem na transição ofensiva, furando a marcação com menos dificuldade em contra-ataques pelo lado esquerdo, de Coutinho e Neymar. Já o time de Osorio, apesar da escalação de Rafa Marquéz (como volante à frente da defesa e não numa linha de cinco), deu bastante trabalho a Fagner e Filipe Luís com Vela e "Chucky" Lozano, respectivamente.

 

SEGUNDO TEMPO

No intervalo, o México mexeu: Rafa Marquéz foi substituído por Layún, que passou à lateral direita para o pendurado Edson Álvarez (que recebeu cartão após entrada dura em Neymar no primeiro tempo) não ter mais de marcar o camisa 10. Mas ninguém conseguiu parar o craque brasileiro aos cinco minutos, quando atraiu toda a marcação, ajeitou de calcanhar para Willian e recebeu de volta para abrir o placar. Os mexicanos ainda o caçaram com mais faltas e, além de pararem na seleção menos vazada do torneio - que soube se fechar num 4-4-2 e até com uma linha de cinco -, levaram mais um gol no final, de Firmino.

 

ESCRITA MANTIDA

Como nos outros quatro encontros de Copa do Mundo (1950, 1954, 1962 e 2014), todos por fase de grupo, o México não conseguiu vazar o Brasil. Agora, são ao todo quatro vitórias brasileiras e um empate.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS